Novelas

“Velho Chico”: Carlos Eduardo trai Afrânio e torna-se o novo coronel

Em cena prevista para ir ao ar no dia 29 de agosto, Afrânio (Antonio Fagundes) irá pagar todos os seus pecados, isso porque Carlos Eduardo (Marcelo Serrado) acabará traindo o sogro e se tornará o novo coronel.

De acordo com o Notícias da TV, ele chantageará Afrânio com provas de vários crimes, um deles de envio de dólares para contas no exterior. O pai de Tereza (Camila Pitanga) será obrigado a deixar Carlos Eduardo desfilar pela cidade de Grotas como o novo Saruê.

Primeiro afrânio irá romper com o ex-genro, dizendo que ele não é mais da sua família, porém irá tentar manter a parceria na política. Afrânio irá oferecer apoiar a candidatura de Carlos para governador, porém ele apresentará a carta de renúncia do cargo de deputado, e dirá que é o novo coronel.

“O que houve pra você voltar assim, tão diferente, valente, macho”, perguntará Afrânio. “Por que ter medo de você? Um velho, vaidoso. Sua família tem razão, você nunca soube olhar para ninguém a não ser você mesmo! É um cego, um ególatra, que nunca deu atenção ao mundo que orbitava ao seu redor”, disparará Carlos.

Afrânio ficará descontrolado e apontará uma pistola para a testa do genro. “Atire, coroné. Atire e vai descobrir que, diferente de você, eu sempre soube com quem estava lidando. O jogo acabou pra você. O jogo de poder que você jogou às sombras da sua família, debaixo da alcunha de Saruê! Mas você não viu que não estava jogando sozinho”, dirá o deputado.

Afrânio atirará em Carlos mas o tiro acaba indo para o alto, pois Carlos irá dizer que a pasta com toda as provas que colocará Afrânio na cadeia está na mesa. “Você não vai me matar! Não fez e agora é tarde pra se arrepender! Se eu cair, carrego você e tudo que você construiu junto comigo, coronel”, ameaçará.

Ele ainda dirá que que passou 30 anos de sua vida juntando provas contra o ex-sogro. “Você me inventou, coronel, pode me matar, mas não vai se ver livre de mim! Eu sou sua cria, Saruê, o filho que você escolheu! E, no dia que eu me for, o mundo vai conhecer o homem que você é! É inútil lutar contra nossa natureza, Afrânio. Você não é um assassino, assim como nunca foi um coronel. Por isso inventou essa alegoria e passou a vida fantasiado de Saruê”.

Afrânio dirá que deu tudo o que foi prometido ao genro, então Carlos rebaterá dizendo que ganhou uma mulher adúltera e um filho bastardo e que tudo isso não foi um bom negócio. “Eu vi malas de dinheiro, doleiros, contratos, contas no exterior e nunca, absolutamente nunca, abri o bico ou toquei no que era seu. Pelo contrário, me enfiei nessa imundice para limpar o nome dos de Sá Ribeiro, e limpei! Apaguei todos seus rastros. Afrânio, eu quero poder. Nunca confiei na memória. Por isso, anotei tudo: datas, valores, contas, nomes e cada movimentação. No dia em que eu morrer, caso eu morra, coronel, isso tudo virá a publico”, falará Carlos.

Afrânio então rasgará os papéis, porém Carlos falará que tratam-se apenas de cópias, Afrânio ficará ainda mais bravo, a partir desse momento ele sairá aos quatro cantos anunciando que é o novo coronel da cidade.

Carlos Eduardo e Afrânio (Foto: Reprodução)
Carlos Eduardo e Afrânio (Foto: Reprodução)