Emissoras

TVs abertas se preparam para ano difícil e promoverão grandes cortes junto a demissões

Após um 2015 árduo e com mudanças bruscas para aquilo que se esperava em 2014 para o ano que estava vindo, 2016 será aquele ano em que já se sabe o que vai acontecer. Com o número de aumentos, desvalorização da moeda e várias outras características de um país em crise, segundo a coluna do Ricardo Feltrin, isto afetará em cheio os ganhos da emissoras de televisão, principalmente as de cadeia aberta no Brasil.

A explicação não é outra se não a de que o mercado publicitário tentou neste ano dar uma oportunidade para que as coisas surtissem efeito. Sem muitas reações, já no começo do ano os cortes acontecerão de maneira mais expressiva em 2016, que chegarão a Globo, Record, SBT, RedeTV! e inclusive a que já foi afetada, a Band.

Veja também:

O otimismo para este ano não teve efeito, e na prática, isto acarretará em cortes que variam em até 12% na folha de ganhos. Em umas mais e em outras menos, não terá uma que fuja dos efeitos de um período de recessão e desgaste, e que desanimam em investimentos maiores e mais expressivos.

(Imagem: Montagem/Divulgação)

(Imagem: Montagem/Divulgação)

Você também pode gostar