Colunas, Noticia, RecordTV

Tramas bíblicas são legais mas a Record não deveria abandonar as novelas comuns

A RecordTV nos últimos anos tem usado sua teledramaturgia para expor histórias bíblicas de sucesso. O público do Famosos Na Web, sempre bem antenado teve a oportunidade de acompanhar a repercussão dessas produções, pois sempre postamos os principais acontecimentos, além dos números de audiência em diversas localidades pelo nosso Brasil.

Tudo começou com as séries, foi uma tática que o canal usou para aproximar os cristãos, principalmente os evangélicos para deixar o preconceito de lado e acompanhar também conteúdos da dramaturgia. Iniciando então pela a história de Ester, continuando com Sansão e Dalila, Rei Davi e fechando o ciclo de contos curtos com José do Egito.

Só depois disso tudo que a emissora da barra funda teve coragem de lançar sua primeira novela baseada no texto sagrado. Nomeada de Os Dez Mandamentos, a trajetória de Moisés encantou os brasileiros, fazendo com os índices do ibope explodissem. Em muitos momentos, deixando a poderosa Rede Globo na segunda colocação, ou seja, foi muito sofrimento para William Bonner e a turma do Jornal Nacional.

O imenso sucesso, agradou bastante os diretores do veículo de comunicação. Com isso, com o título de superprodução a Terra Prometida surgiu como continuação, desta vez o protagonista foi Josué. Depois disso, chegou Apocalipse, prometendo mostrar todos os mistérios de um dos livros mais emblemáticos da bíblia, tratando sobre o arrebatamento e a vida após a morte.

Todas as tramas citadas acima, deram o que falar e invadiram as casas dos telespectadores. No entanto, a mesma Record no passado também conseguia números expressivos com telenovelas comuns, as que são baseadas totalmente na mente do autor, como Prova de Amor, Os Mutantes, Bicho do Mato, Vidas Opostas e até mesmo Ribeirão do Tempo.

Veja também:

Pensando desta forma, outro horário deveria ser aberto na estação televisiva. De maneira nenhuma as brilhantes narrativas da bíblia devem perder seu espaço de exibição. Até porque é como diz o ditado, ”time que está ganhando não se mexe”. Pode até não mudar, mas acrescentar no elenco é bem válido, por isso seria interessante a volta dos conteúdos novelísticos comuns que tanto fez a TV que completa 65 anos em 2018 crescer

Prova de Amor é um exemplo que o canal não deveria investir somente em produções bíblicas (Foto: Divulgação)

 

 

Você também pode gostar