Opinião

“The Voice Brasil 2016” decepciona e deixa gosto de “tanto faz, tanto fez”

A quinta temporada do reality global “The Voice Brasil” decepcionou e não foi pouco. A produção do programa, segundo informou Tiago Leifert, resolveu limitar o número de inscrições, e isso pode ser um tremendo tiro no pé. Uma linha tênue se instaurou na voz e na escolha das músicas em várias batalhas nesse “The Voice”.

Agora, com inscrições limitadas, grandes talentos podem ficar de fora da próxima edição, que não deixa ansiedade. Finalistas com vozes “comuns” e candidatos com vozes “simples” marcaram a temporada do programa que acabou na última quinta-feira, 29/12.

Mylema Jardim venceu de forma mais que merecida, e já era muitíssimo óbvio que ela seria a campeã – era o maior talento dentre os finalistas. O programa, no geral, foi razoável, com grandes vozes saindo na fase de batalha dos técnicos que foi bastante injusta. O tempo para votação era ridículo, as batalhas eram sem nexo e a escolha do público girou em torno de fandoms.

Veja também:

Grandes vozes – participantes com talentos incontestáveis – não chegaram sequer a semifinal. Na final, a escolha do look de Claudia Leitte foi uma piada generalizada nas redes sociais; algo completamente inadequado para a ocasião. A escolha das músicas feita muito erroneamente também tirou o brilho desta final, que acabou conquistando audiência morna, inferior ao restante da temporada (apenas 18.8 pontos na Grande São Paulo). O “The Voice Kids” promete muito mais do que essa quinta temporada da versão adulta.

“The Voice Brasil” decepcionou (Foto: Reprodução/Globo)

Você também pode gostar