Celebridades

“Público gay é o meu público. É a massa que me segue”, diz Claudia Leitte após polêmica

Após dizer que “gostaria que seu filho fosse macho”, na época em que ainda estava grávida do seu primogênito Davi, Claudia Leitte parece que mudou de opinião sobre o assunto, e contou em entrevista que luta pelos direitos igualitários, com o intuito de vencer qualquer tipo de preconceito.

“Eu sou uma pessoa totalmente livre desplugada de rótulos, não faço dissociação de uma pessoa e outra. Pra mim, o público gay é o meu público. É a massa que me segue. Eu não faço dissociação. Eu acho que as pessoas precisam de rótulos para definirem as outras, então é um saco isso. É uma encheção de saco quando olham pra mim e querem colocar qualquer etiqueta em mim: eu não sou um produto, eu sou gente e gosto de gente. Eu quero que venham mais pessoas para perto de mim. Que estejam mais próximas a mim. Porque isso que faz minha música, é isso que me inspira: essa relação com o público que eu tenho com o público gay é tão saudável porque se trata de gente pra gente, de igual para igual. Então quem precisa botar rótulo em mim, rótulo em público, carrega algo consigo que não é meu e eu não levo para mim. Não tô nem aí”, contou ela, ao blog Me Sante do “Correio 24 horas”.

A cantora carioca, ainda disse que amadureceu com o tempo, admitindo que não é ‘perfeita’. “Mas eu já estive aí porque eu fui uma menina, mas hoje eu sou uma mulher convicta dos meus valores e dos meus princípios. É claro que eu sou um ser humano, eu cometo erros, eu sou uma pessoa que expõe o que sente com muita facilidade no olhar ou falando. Então é óbvio que algumas coisas vão ser deturpadas. Eu sou uma pessoa pública e não vou ser uma pessoa perfeita em tudo que eu falar e em tudo que eu fizer”, finalizou.

Claudia Leitte (Foto: Reprodução/ Instagram)

Claudia Leitte (Foto: Reprodução/ Instagram)

Veja também:

Você também pode gostar