Noticia, Programas, SBT

Por baixa audiência, SBT tira do ar telejornal que acaba de estrear; entenda!

Levado ao ar pela primeira vez na TV brasileira, o telejornal “sem noção” ‘Alarma TV’ não conseguiu êxito perante os telespectadores da Grande São Paulo, e, com isso, teve que ser cancelado pela direção do SBT após dar vexame na audiência na noite desta terça-feira (01).

De acordo com os dados consolidados do Kantar Ibope Media, divulgados pelo site Notícias da TV, o programa marcou baixos 5,2 pontos de média na capital paulista, superando por um décimo apenas o Fofocalizando, que mais cedo registrou 5,1.

Durante os 25 minutos que esteve na telinha, das 19h20 às 19h45, a atração perdeu para a Globo, Record e até mesmo para a Band. Várias foram as críticas dos internautas diante da estreia do telejornal que é considerado o “mais violento do mundo”. Só para se ter uma ideia, ontem (01) foi exibido um vídeo de um carro explodindo quatro soldados.

“O canal da família, o Sbesteira, fez a estreia de um programa cujo primeiro destaque era o de 4 pessoas pessoas explodindo na guerra. Alarma TV é um show de bizarrices de fazer qualquer um se orgulhar por não ver tv. Verdadeiro jornalismo de ópera bufa”, criticou um. “O SBT perdeu o senso do ridículo”, disse outro. “Será que o Silvio Santos está bem? O pior jornal da história”, escreveu um terceiro.

Sobre o telejornal

O Alarma TV é um telejornal com uma temática jornalística duvidosa, exibido pela Estrella TV, emissora norte-americana que produz conteúdo para o público hispânico dos Estados Unidos, e apresentado pela norte-americana Lianna Grethel e pelo mexicano Jorge Antolin. As pautas têm como foco assassinatos à queima-roupa e ainda conta com mulheres de fio dental, além de outros detalhes ‘irreverentes’.

Veja também:

Como o próprio título já diz, o Alarma TV é de deixar os telespectadores alarmados. Ele é considerado pela crítica internacional como o “telejornal mais violento do mundo”, e não censura cenas bizarras. Os apresentadores, sem informar muito sobre os protagonistas de cada situação, fazem alguns comentários vazios e tentam amenizar o horror com o humor.

Por exemplo, em uma reportagem, uma mulher rebola e se esfrega sobre o corpo de um defunto em um caixão. Depois disso, nada mais é falado. A apresentadora Lianna, no final do vídeo, diz: “Será que assim ele se levanta?”, comenta ela, aos risos.

Mulheres dançando de fio dental, cenas de escatologia, comidas bizarras, portadores de doenças que desfiguram seus corpos, brigas, animais em risco e homossexuais em situação de opressão foram algumas das cenas que já foram ao ar nos Estados Unidos. Apesar do site do programa afirmar que trabalha de maneira séria, até com correspondentes, seu conteúdo é baseado em vídeos da internet e grupos de WhatsApp, mas que são apresentados como material jornalístico.

Telejornal mais violento do mundo, Alarma TV, é cancelado pelo SBT (Foto: Reprodução/Youtube)

Telejornal mais violento do mundo, Alarma TV, é cancelado pelo SBT (Foto: Reprodução/Youtube)

Você também pode gostar