Celebridades

Pelo Teleton, SBT tenta limpar a imagem de Celso Portiolli após discussão do apresentador no Twitter

Na tarde desta quinta-feira (08), o apresentador Celso Portiolli acabou se envolvendo em uma verdadeira confusão com internautas no Twitter após sair em defesa do SBT e do também presidente eleito Jair Bolsonaro. Tudo começou quando o comandante do Domingo Legal se revoltou com alguns comentários críticos a respeito da vinheta da emissora, na qual dizia “Brasil, ame-o ou deixe-o”, que já foi retirada do ar.

Com isso, Portiolli tomou a frente e escreveu: “Para quem não ama o Brasil, a Venezuela é logo ali”. No entanto, de acordo com o site Notícias da TV, essa atitude dele fez com que a direção do canal o chamasse para uma conversa, onde, na ocasião, foi solicitado para que o mesmo “maneirasse o tom” e “apagasse algumas mensagens publicadas” por receio de que isso afete nas doações do Teleton, que começa hoje (09), às 22h.

“Como ele vai pedir solidariedade com uma publicação dessas?”, alegou uma fonte, que, em seguida, também disse que a repercussão não se tornou ainda maior por conta da expulsão de Nadja do reality A Fazenda, da Record. “A direção comemorou a expulsão de Nadja Pessoa de A Fazenda, da Record. Isso mudou o foco nas redes sociais e o volume de reclamações direcionadas ao SBT despencou. Deram graças a Deus de ter um monte de polêmicas ao mesmo tempo. Aí vem o Portiolli e coloca o assunto na roda de novo”, completou.

Em suas postagens, Celso Portiolli não escondeu de ninguém que está a favor do Governo Bolsonaro, o que fez com que ele debochasse e agredisse verbalmente os twitteiros que se posicionaram contra suas opiniões. Foi aí então que diretores da casa chamaram a atenção de seu contratado, o qual recebeu um alerta para que parasse com os comentários a fim de não prejudicar a campanha em prol da AACD.

Sendo assim, Portiolli não pensou nem duas vezes para excluir as suas publicações polêmicas no Twitter. Como forma de se redimir pelo que fez, o apresentador compartilhou um vídeo de autoajuda relacionado ao poder da fé. Em contato com o SBT, a publicação afirma que a assessoria disse que “a postura de seus apresentadores nas suas redes sociais não representam necessariamente a opinião da emissora”.

Entenda a vinheta

Na última terça-feira (06) o SBT começou a exibir uma série de vinhentas de cunho nacionalista, demostrando seu apoio ao Presidente eleito Jair Messias Bolsonaro. A mais polêmica apresenta imagens de locais turísticos, acompanhada com a voz de um locutor que declara: “Brasil, ame-o ou deixe-o”. Uma frase reconhecida de longe como uma das principais do regime militar.

No entanto, outras mensagens do período de 1964 a 1985 não foram esquecidas. “Brasil de encantos mil”, “Pra frente Brasil”, “Brasil, pátria amada”, “Brasil, terra adorada” e “Eu te amo, meu Brasil”, também ganharam destaque nos intervalos comerciais da emissora. A última citada é o verso da música da dupla Dom e Ravel, que tinha bastante espaço na década de 70 e 80 no canal.

Veja também:

Segundo informações do Notícias da TV, uma fonte da alta cúpula do Sistema Brasileiro de Televisão, revelou que as produções das “propagandas” foram confeccionadas após ordens de Silvio Santos, indicando assim que a rede televisiva ficará ao lado do líder do Poder Executivo.

“‘Eu te amo, meu Brasil, eu te amo, meu coração é’ e ‘Brasil: ame-o ou deixe-o’ são propagandas da ditadura militar. Nós amamos o Brasil. O de todas as cores, credos e opiniões políticas. Enaltecer a ditadura não é amar o Brasil, mas repugnar a democracia e as conquistas da Constituição de 1988. ‘Brasil, ame-o ou deixe-o’ não é sobre amor e patriotismo. É sobre a violência do exílio e do desterro. Tirem o cavalinho da chuva: Vamos ficar, lutar e defender a democracia. Por amor ao Brasil”, repudiou Manuela D’Avila em seu perfil no Twitter.

Celso Portiolli foi chamado a atenção por seus superiores (Foto: Reprodução)

Celso Portiolli foi chamado a atenção por seus superiores (Foto: Reprodução)

Você também pode gostar