Novelas, O Outro Lado do Paraíso

O Outro Lado do Paraíso: Samuel engata namoro com Suzy para disfarçar sua homossexualidade

Gay, Samuel (Eriberto Leão) vai fazer de tudo para disfarçar a sua orientação. Diante disso, ele vai acabar engatando namoro com Suzy (Ellen Rocche), enfermeira do local hospital onde ele dá expediente. Conversando com a amiga, a mulher nem vai perceber a chegada do médico. Bastante nervosa e surpresa, ela vai tentar se justificar para o seu superior.

“Doutor Samuel, eu sei que tô errada, que não devia estar conversando, mas não vai acontecer mais”, tentará se justificar a moça, sem perceber que o rapaz não está focando nisso. Samuel pedirá que a mesma vá em sua sala, deixando-a ainda mais assustada. Ao chegar na sala do psiquiatra se justificando, ela acabará sendo convidada para sair. Incrédula, a moça ficará animada com o convite, sem nem imaginar que está sendo usada para esconder as reais preferências do médico.

Samuel procura ajuda para deixar de ser gay

Nos próximos capítulos de O Outro Lado do Paraíso ficará cada vez mais nítido o quão gay enrustido o Dr. Samuel (Eriberto Leão) é. Ele namorará com Suzy (Ellen Rocche), como forma de tentar “superar” sua tendência a se relacionar com homens. Ela insistirá para ir à cama com ele e, a partir de então, começará o problema na vida dele. Na tentativa de agradar a sua mãe, Adneia (Ana Lucia Torre), o psiquiatra tentará fazer uma consulta com um amigo da faculdade para encontrar uma forma de deixar de ser gay.

O especialista, que se chamará Inácio, ouvirá o desabafo dele: “Estou namorando. Uma enfermeira. Bonita. Já poderíamos ter tido alguma intimidade, mas enfim… Isso aqui não funciona. Penso até em casar com essa enfermeira. Mas ela é um tanto fogosa demais, sabe? Até agora não correspondi“.

Veja também:

Desista dessa enfermeira, Samuel. Sou seu amigo o suficiente para aconselhar. Desista. Leva sua vida. Hoje em dia esse tipo de opção é aceita“, aconselhará Inácio, que será retrucado pelo amigo: “Opção? Acha que se pudesse escolher, escolheria ser como sou? Minha mãe não suportaria. Eu amo minha mãe, entende? Amo. Eu odeio ser o que sou. Odeio“. “Odeia ser gay?“, indagará Inácio.

Odeio. Não sei porque nasci assim. Com esse desejo. Tenho horror de mim, entende? Cada vez que tenho um encontro escondido, depois tomo banho, me esfrego. Tenho nojo de mim. Nojo“, responderá Samuel. O amigo, então, será sucinto ao dizer que não existe remédio para curar homossexualismo. “Não quero remédio. Quero apenas que isso aqui funcione. Quero que funcione com essa moça. Ou outra qualquer. Não quero que minha mãe saiba que desejo homens“, dirá o psiquiatra que, logo em seguida, receberá uma receita de remédios para ereção.

Samuel vai engatar namoro com Suzy (Foto: Reprodução)

 

Você também pode gostar