Celebridades

Neto de Luciano do Valle faz carta para comentarista da Band parar com ataques

Para quem não sabe, no início deste mês, na partida entre Ponte Preta e Corinthians, a torcida do time da casa se revoltou e xingou o comentarista Neto. Ele participava, como é comum, da transmissão do jogo pela Band, juntamente com o narrador titular do canal, Téo José.

No dia seguinte, uma segunda-feira,  o comentarista resolveu se manifestar. “Fico emocionado com tantos admiradores. A turma do segundo time de Campinas me ama. Vejam só! Obrigado pelo carinho de sempre”, escreveu o comentarista.

A partir deste momento, uma série de ofensas começaram. O ponto alto de tudo aconteceu nesta última sexta, quando Neto resolveu marcar no ar uma briga com a torcida da Ponte. Disse que estaria em um compromisso num supermercado. O evento, obviamente, foi cancelado por motivos de segurança.

Através das redes sociais, Paulo do Valle, neto do narrador Luciano do Valle, morto em abril de 2014, enviou uma carta ao comentarista da Bandeirantes,pedindo para que ele cesse os ataques à Ponte Preta.

Confira:

“Caro Neto,

Desculpa te chamar de amigo.Nos conhecemos pouco (ou melhor: você me conhece pouco). Tivemos no máximo três encontros até hoje.

Um deles foi marcante. No velório do meu avô Luciano do Valle. Esse que você tem um enorme respeito e sempre se recorda com carinho, sendo a figura que te deu a grande oportunidade da sua carreira televisiva, hoje tão consagrada.

A última vez que nos vimos tem mais de um ano, foi uma entrevista exclusiva que fiz com você, em homenagem ao meu avô. Seu carinho por ele ficou evidente somente pelo fato de ter me tratado tão bem esse dia, pra sempre guardado em meu coração.

Por tudo isso, me sinto tranquilo em te chamar de amigo nessa carta aberta.

Te assistia nos meus almoços rotineiramente, mas passei a me incomodar profundamente quando o nível das brincadeiras com relação ao meu time, a Ponte Preta, caiu de uma forma assustadora.

Antes eu até suportava, sou bem tranquilo com relação a rivalidade entre Ponte e Guarani. Aliás, tenho maior respeito pelo Bugre, time da minha vó Yolanda.

Mas com o passar do tempo, o limite do aceitável de provocação clubística foi ultrapassado ferozmente por você.

Não sei se foi porque a Ponte Preta proibiu a ida dos jogadores ao seu programa, mas vá lá! Ninguém tem sangue de barata. Um programa que passa pra todo o estado de SP e entra em todas as casas diariamente, não pode ser a voz de nenhuma torcida e de provocações.

Sei sim que faz parte de uma “política de jornalismo esportivo bonachão” da Band nos últimos tempos (já bastante defasado) , mas se tratando da rivalidade de Ponte e Guarani é um pouco diferente, não acha?

Quando o recorte passa a ser somente Ponte e Guarani, clubes hoje pouco explorados pela grande mídia, a questão muda. Um exemplo básico: o torcedor nunca vê notícia da Ponte nos principais noticiários esportivos do Brasil. Quando aparece é porque tem jogo contra grande de capital e ainda de forma secundária, mesmo quando ganha.

Imagina a situação contrária: um consagrado apresentador pontepretano fazendo chacota da situação do Guarani? Não seria legal. O assunto deve ser tratado de forma séria por jornalistas e formadores de opinião.

Sabendo disso, não faz sentido todos os dias o mesmo apresentador fazer chacota do mesmo clube.

A consequência disso é uma torcida revoltada e um apresentador que não pode mais andar tranquilamente na cidade onde sempre gostou de viver.

Além dos inúmeros repórteres da TV Bandeirantes que passam pelo Majestoso e sempre são obrigados a passar pelo constrangimento de ser cobrado pelo torcedor com relação a você, sua paixão e seu ódio particular. Acha justo com seus colegas de casa?

Depois de muitas provocações, o estopim foi na última sexta, quando você resolveu marcar no ar uma briga com a torcida da Ponte. Disse que estaria em um compromisso num super-mercado e que o torcedor revoltado com suas provocações poderia ir lá se resolver com você – e ainda disse que era pra ir em bando.

Obviamente o evento foi cancelado pelo super-mercado por motivos de segurança. Todos saíram perdendo com um evento comercial cancelado, por incentivo da violência partindo de você mesmo. Algo totalmente evitável se tratando de um apresentador de uma TV tão grande como é a Bandeirantes e, PASMEM, no horário do almoço.

Assustador saber que chegamos nesse ponto.

Já parou pra pensar que esse tal time que você insulta todos os dias, até se negando a dizer o nome e chama os torcedores pro pau, foi o time de coração do cara que você é tão grato pela sua vida na TV?

Será que você falava essas coisas que hoje diz diariamente sobre a Ponte para o meu avô?

Diferente de você (e até de mim), ele nunca fez muito alarde com relação a paixão clubística dele. Jamais deixou que isso influenciasse em alguma narração sua. Mas nunca escondeu e todos sabem que ele amou muito a macaca!

Portanto, não por mim e nem pela torcida da Ponte, mas pelo meu avô, pessoa que você tanto respeita: pare com isso, por favor!

Espero que me entenda. É para o bem de todos.”

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

Curtidas