Emissoras, Globo, Noticia

MG4: Globo inaugura complexo de estúdios para expandir a produção de teledramaturgia

Na noite desta quinta-feira (8), a Globo inaugurou o MG4 (Módulo de Gravações 4), um complexo de estúdios no Rio de Janeiro, que abriga o que “há de mais moderno e avançado na indústria audiovisual do mundo”. Porém, segundo informações do Notícias da TV, Jorge Nóbrega, presidente executivo do grupo, informou que a emissora carioca trabalha com uma previsão de prejuízo operacional para os próximos três anos.

Isto será causado em decorrência do alto investimento em tecnologia e em conteúdo, para bater de frente com Netiflix, Amazon e outras plataformas de streaming. Nos próximos quatro anos, a Globo gastará R$ 4,2 bilhões por ano com a produção de entretenimento e R$ 1,1 bilhão por ano com a compra de equipamentos e softwares. Sendo assim, se tornando uma empresa de “media tech”, com uso de dados e inteligência artificial para entregar o que há de melhor ao telespectador. “Isso está levando a nossa base de custo a subir. A gente pode esperar e a gente vai sacrificar uma parte do nosso resultado operacional nos próximos três anos para financiar esse processo de transformação”, disse Nóbrega a jornalistas convidados.

Os sacrifícios para a construção do MG4 iniciaram-se em 2017, com um investimento de R$ 207 milhões. Nos últimos dois anos, a emissora carioca teve  um prejuízo operacional. Seus gastos foram maiores do que as receitas, e o canal só não teve prejuízo por causa das aplicações financeiras de lucros bilionários de exercícios anteriores. Segundo Nóbrega, os prejuízos se repetirão até 2021, quando estará implantado o projeto ‘Uma Só Globo’, que, mais do que unificar TV Globo, Globosat e Som Livre, promete mudar a forma como o grupo produz todo o seu conteúdo.

Veja também:

O MG4 expandirá em 40% a produção do antigo Projac, agora Estúdios Globo, onde já se produzem 3.000 horas de televisão por ano. Com três estúdios de 1.500 metros quadrados cada um, foi projetado para ser a melhor estrutura de produção de teledramaturgia do mundo. A partir daí, gravações em 4K se tornarão uma rotina. Com cenários fixos, dois fossos cênicos e paredes removíveis, os módulos do complexo permitem a integração de cenários e a gravação de planos-sequência que atravessam estúdios e terminam em uma área externa de 4.000 metros quadrados. Com mais recursos, a qualidade tende a melhorar.

Carlos Henrique Schroder, o diretor-geral da  Globo, afirmou que o projeto foi pensado desde 2014 e passou por três anos de pesquisas, com visitas nos estúdios da CBS, BBC, Disney, Warner e Fox. Além disso, a emissora já fez um planejamento de longo prazo (estima-se que já há novelas até para 2023), investiu em novos autores (foram lançados 18 nomes) e repensou sua programação. De acordo com ele, a Globo fechará 2019 com 72 produtos lançados, 12 a mais do que 2018.

Conjunto de estúdios MG4 (Módulo de Gravações 4) inaugurados pela Globo (Foto: Reprodução/TV Globo)

Você também pode gostar