Celebridades

Marco Ricca comenta a respeito do cinema brasileiro

No ar em “Liberdade, Liberdade” com o personagem Mão-De-Luva, o ator costuma se envolver bastante no cinema brasileiro, porém não está nada satisfeito com o mercado de distribuição. Em uma entrevista concedida ao jornal “O Globo”, Marco Ricca contou que o trabalho fica complicado, já que os cinemas não distribuem um filme nacional com tanto entusiasmo.

“É muito difícil esse negócio da produção, distribuição… É talvez o monopólio mais cruel que existe no Brasil. Os caras têm o controle sobre tudo e todos. Nossos filmes ficam em cartaz na menor sala, às vezes numa sessão só. Tratam a gente como lixo”, reclamou.

Veja também:

De acordo com o ator, ele foi mal interpretado ao dizer que atores faziam TV mais por dinheiro: “Todo mundo tem que se sustentar, a gente vive do salário. Mas eu gosto de fazer TV. Minha primeira novela tinha 210 capítulos. Se você passa seis meses num trabalho, mergulhado, é sensacional. Agora… um ano e meio é muito tempo. É difícil não perder o estímulo. Tiro o chapéu para quem faz novela longa e não perde o personagem nunca”.

O ator criticou o mercado de distribuição do cinema brasileiro (Foto: Reprodução)

O ator criticou o mercado de distribuição do cinema brasileiro (Foto: Reprodução)

Curtidas

Você também pode gostar