Justiça americana pode cancelar o “Miss Brasil” em 2017, saiba porque

O Miss Brasil é um evento organizado e transmitido pela Band, que desde o ano passado conta com o apoio da Polishop, que além de patrocinar, assume a organização do evento. Há dois anos, um esquema de fraude foi denunciado no Miss Sergipe, onde o cineasta Bruno Azevedo, namorado da candidata Camila Dias Mol, que na época concorria na etapa regional, garantiu que recebeu pedido de dinheiro para fazer a moça ganhar.

Ele garantiu que tinha conversas que poderiam servir como provas de que ele recebeu o pedido de 10 mil para que a moça viesse a ganhar. No final das contas, Camila acabou na segunda colocação. “Tenho as conversas salvas e as ligações gravadas onde ele me pediu dinheiro. Dos seis jurados da mesa, cinco votaram em Camila”, declara o rapaz.

No entanto, agora a coisa ficou mais séria, é que a denúncia feita pelo empresário chegou até a Justiça americana, que prontamente já notificou a direção do Miss Universo: “A Justiça norte-americana recebeu nosso processo contra a organização mundial para punir o resultado manipulado dos dois concursos que a Camila participou, já deu um primeiro parecer e a organização do Miss Universo foi notificada”, diz o rapaz, que acredita que o Miss Brasil não acontecerá em 2017.

“Miss Brasil” pode deixar a grade da Band (Foto: Reprodução/Internet)

 

Curtidas
Jean Santos
É extremamente prazeroso levar informação com credibilidade, imparcialidade e respeito aos nossos leitores. Me sinto honrado em fazer parte do Famosos na Web, a sua fonte segura de informação. E-mail: [email protected], me mande um e-mail, ou se preferir me ligue 71 98536-6204.

Comentários