Celebridades, Noticia, Novelas

Juliano Laham, que interpreta gay em Orgulho e Paixão, perde seguidores e diz que é culpa da homofobia

O ator Juliano Laham iniciou sua participação na novela Orgulho e Paixão, da Globo, e viu seu personagem crescer em popularidade após a revelação de que Luccino é homossexual. A trama emocionou os telespectadores e juntou um dos casais mais queridos da novela, com o seu par Pedro Henrique Müller que interpreta Otávio.

Apesar da boa recepção de algumas pessoas, houveram reações contrárias e comentários homofóbicos, mas Juliano diz não se importar. “Tenho perdido muitos seguidores depois que o personagem começou a contar essa história e estou super tranquilo. Acho que essas pessoas que não têm amor ao próximo, não conseguem enxergar o amor entre duas pessoas do mesmo sexo. Para mim não acrescentam em nada. Quero pessoas que apoiam. No Twitter, por exemplo, as pessoas ficam doidas com esses personagens”, declara..

Por Orgulho e Paixão se passar em uma época passada, o tema é muito atual. O ator tenta deixar sucinto o quanto ainda há discriminação mesmo décadas, já que a novela que se passa em 1910. “É engraçado que cada ano que passa a medicina avança, a tecnologia avança, mas por que o preconceito não para? A homofobia ainda existe, e isso é muito ridículo. Uma forma de a gente poder tentar acabar com essa babaquice é educando. Seja tentando transmitir isso numa novela ou qualquer outra obra, mas pensado como uma forma de educação”.

Veja também:

Laham ainda afirma que a novela de Marcos Bernstein retrata o de uma forma delicada e que foi descobrindo o personagem aos poucos. “Logo no início, no momento de preparação, eu comecei a perceber que o Luccino era um cara sensível e diferente dos irmãos, mais conservador, que não fala muito sobre seus relacionamentos. Só ao decorrer da história, comecei a perceber que os autores estavam levando para outros caminhos e fui construindo. Fomos descobrindo juntos, isso foi muito bacana”, diz.

Com a repercussão, Juliano Laham afirma ter ficado mais sensível quanto as pessoas, principalmente as que são homossexuais e são rejeitadas ou passam por problemas. “A gente nunca sabe de fato o sentimento que se passa em cada um. O cara pode ser um grande amigo meu, mas eu não sei o que se passa dentro dele. Fui me dando conta que é uma dor imensurável. O que mudou pra mim é hoje poder enxergar ainda mais aquela pessoa e buscar defendê-la”, finaliza.

Luccino (Juliano Laham) e o amado Otávio (Pedro Henrique Müller) em Orgulho e Paixão (Foto: Reprodução)

Você também pode gostar