Emissoras, Noticia

Jornalistas denunciam Grupo Record após sofrerem pressão para defender Bolsonaro

Não tem como esconder que a RecordTV está fazendo de tudo para defender o candidato Jair Bolsonaro, ele que esse ano concorre ao cargo de presidente da república. Diferentemente de outros canais a emissora mesmo sendo composta por bispos apoia o extremismo do candidato do PSL que é publicamente contra minorias e condenado por racismo.

Contudo, alguns jornalistas do Sindicato dos Jornalistas fizeram uma denuncia contra o Grupo Record pelo fato de que os profissionais da emissora não estão conseguindo ser imparciais e sofrem pressão da alta cúpula para defender Bolsonaro.

A denuncia ainda inclui a rádio e o portal de notícias R7, que também pertencem à Edir Macedo. Segundo informações o clima na redação não é dos melhores e vários jornalistas estariam revoltados com o ocorrido.   

A ideia da emissora seria passar uma imagem positiva de Bolsonaro, contudo o candidato não seria tão honesto como a emissora tenta mostrar, uma vez que na última quinta-feira, 18, a Folha de S.Paulo denunciou um suposto caixa 2 patrocinado por empresários no valor de R$ 12 milhões – não declarados à Justiça Eleitoral para disparar mensagens via WhatsApp uma semana antes das votações do segundo turno, a fim de difamar Fernando Haddad, em um esquema que visa beneficiar Jair Bolsonaro.

Veja também:

Após a revelação dos fatos, o PT ingressou com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra Bolsonaro por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação. Na sexta-feira, 19, o ministro Jorge Mussi, corregedor do TSE aceitou a denuncia do Partido dos Trabalhadores e abriu uma ação para investigar o caso.

 

Jair Bolsonaro está se recuperando de facada e fica proibido de participar de debate nesta quinta (11) (Foto: Reprodução)

Jornalistas estariam sofrendo pressão para defender candidato (Foto: Reprodução)

Você também pode gostar