Homem tem pena reduzida por que o pessoa que ele matou era gay

Homem tem pena reduzida por que o pessoa que ele matou era gay

Juízes diminuíram a pena a um homem que assassinou o ex-companheiro a tiro por que a homossexualidade ainda é alvo de censura social em Portugal. O juiz entendeu que Carlos Ferreira quis manter o caso em segredo, disse um jornal de Portugal.

O Tribunal da Relação de Lisboa diminuiu para 14 anos a pena de um homicida por que entendeu que a homossexualidade ainda é alvo de censura social e que a sua divulgação pode atenuar na gravidade do crime. Carlos Ferreira, de 48 anos, assassinou o ex-companheiro a tiro, em julho de 2012, em Chelas, Lisboa. Tudo porque a vítima e revelou aos amigos que tinham mantido uma relação gay.

Inicialmente o réu tinha sido condenado a 18 anos. A decisão de reduzir a sentença após o voto dos juízes a favor da diminuição, segundo o código penal de Portugal, matar um ex-companheiro deve enquadrar sempre como homicídio qualificado e não como homicídio culposo como o juiz o juiz qualificou.

Comentários

comentar