Noticia, Séries

Globo fará série de super-herói negro e capoeirista após acusações de racismo

A Rede Globo iniciou o projeto de uma série de um super-herói negro que luta contra o crime e as injustiças com golpes de capoeira. A produção começou a ter fôlego após a emissora ser acusada de racismo por causa da novela das 21h, Segundo Sol, que se passa na Bahia, onde 76% das pessoas são pardas ou pretas, e os atores escalados são em sua maioria brancos.

A série será inspirada no filme Besouro, que foi dirigido pelo cineasta e produtor João Daniel Tikhomiroff em 2009. A história é baseada em fatos reais, pois Manoel Henrique Pereira (1895-1924), o Besouro Mangangá, foi um capoeirista que se tornou uma lenda e é cultuado pelo movimento negro. No filme, Besouro é um justiceiro, que combate os abusos dos fazendeiros do Recôncavo Baiano que tratam os negros como escravos após a abolição da escravatura no país, em 1920.

A produção da Globo terá apenas o personagem do longa e dos livros que contam sua história. O herói estará localizado em um centro urbano e perderá ou ocultará sua relação com o Candomblé. A série busca ser inclusiva, com um herói negro e elenco prioritariamente negro. A produção deve ter muita ação, lutas coreografadas e efeitos especiais.

Veja também:

A direção-geral da série ficará a cargo de João Daniel Thikomiroff, fundador da Mixer Films. Os textos e os personagens estão sendo desenvolvidos sob a supervisão de Gloria Perez, na Casa dos Roteiristas. Por enquanto, ainda não há nomes para o elenco. As gravações devem iniciar ano que vem e sua estreia poderá ser em 2020.

Gloria Perez, na Casa dos Roteiristas, está desenvolvendo os personagens da série de super-herói negro da Globo inspirado no filme Besouro (Foto: Reprodução)

Você também pode gostar