Noticia, Novelas, O Outro Lado do Paraíso

Globo acredita que O Outro Lado do Paraíso deve superar Avenida Brasil

Desde que estreou no ano passado, a atual novela das nove, O Outro Lado do Paraíso conseguiu rapidamente se livrar da primeira semana de baixa, conseguindo inflar seus dados ao máximo. Atualmente a novela voa acima dos 40 pontos na Grande São Paulo, o que é visto como mais que positivo pela executiva da emissora, que já imagina que a trama de Walcyr Carrasco tenha uma audiência superior ao fenômeno Avenida Brasil.

Ainda que a repercussão não seja a mesma, a novela já caiu totalmente na boca do povo. É interessante ressaltar que a novela está caminhando para a sua reta final, visto que abril é o último mês completo da história, por isso mesmo, a tendência é que ps números cresçam ainda mais. Em sua média geral, Avenida Brasil teve 39 pontos de média, até hoje não batida por ninguém.

O Outro Lado do Paraíso recebeu críticas

Na noite desta terça-feira (27), depois de ter feito a Globo ir parar na Polícia Federal, O Outro Lado do Paraíso mais uma vez se envolveu em polêmica, desta vez, após ter transmitido uma cena na qual não caiu bem entre profissionais da medicina e enfermagem, e acusaram a novela das nove de terem prestado informações erradas e perigosas para os telespectadores em torno da amamentação.

A sequência em questão exibia o médico Samuel (Eriberto Leão) informando para Karina (Malu Rodrigues), que ela não possuia leite suficiente para amamentar seu filho recém-nascido, e que sua mulher, Suzy (Ellen Rocche), poderia ceder seu leite para hidratar o bebê. Ainda que a prática já tenha sido bastante utilizada até um tempo atrás, conhecida popularmente por ‘amamentação cruzada’, houve críticas.

Veja também:

O Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS) declararam que haveria a transmissão de doenças infectocontagiosas como o vírus da HIV. Segundo informações da revista Veja, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), detonaram a cena do folhetim do horário nobre assinado por Walcyr Carrasco.

A SBP, por exemplo, frisou que a parte em que o médico Samuel declara que a paciente não tem leite suficiente, ocorre apenas em casos muito raros. “A mulher só não tem leite em situações muito raras”, diz Elsa Giugliani, presidente do Departamento, que ainda acrescentou: “Com a propagação da Aids e a descoberta de que a doença é transmitida pelo leite materno, as orientações mudaram. Pode parecer um ato de amor e solidariedade, mas é perigoso e não é recomendado”.

O Outro Lado do Paraíso (Foto: Reprodução / TV Globo)

Você também pode gostar