Celebridades

FEAE acusa “Globo Repórter” de fazer apologia ao uso de maconha; entenda

A FEAE (Federação do Amor Exigente), que representa 100 mil familiares de dependentes de drogas no Brasil, está acusando o “Globo Repórter”, que exibiu uma matéria feita na Jamaica pela repórter Glória Maria onde ela aparece experimentando a maconha, de fazer apologia ao uso da droga.

A FEAE enviou uma carta para a Globo questionando o motivo de ter enaltecido a maconha, já que o uso da droga possui diversos riscos. “A repórter Glória Maria, enviada à Jamaica, apresentou o uso de maconha como inofensivo e necessário àquela população, além de obrigatório em ritual religioso. Ela até experimentou. Na mesma emissora do Criança Esperança, apologia da maconha, droga que crianças já fumam no Brasil”, dizia um trecho do protesto.

“Repórter deslumbrada e emissora conivente, sem questionar o grave fato de que maconha hoje no Brasil já é-repetimos- droga de crianças e causa de esquizofrenia. Exibiu essa apologia à maconha de norte a sul do Brasil sem nenhum comentário sobre os riscos da maconha. Portanto, passa a ser responsável pelo aumento do consumo dessa droga já usada na infância , que tira crianças da escola, de projetos, levando às cracolândias. A maioria dos dependentes de crack começaram experimentando maconha na infância”, acrescentou o vice-presidente da FEAE.

Veja também:

O protesto ainda pede para que todas as 100 mil famílias deixem de assistir ao “Globo Repórter” e alerta sobre os riscos da maconha: ” A maconha dobra o risco de esquizofrenia e de surto psicótico; tem 50% mais substâncias que causam câncer; tem quatro vezes mais alcatrão que o cigarro”.

A FEAE está protestando contra o "Globo Repórter" (Foto: Montagem)

A FEAE está protestando contra o “Globo Repórter” (Foto: Montagem)

Você também pode gostar