Novelas

Entenda porque “Novo Mundo” não deu destaque a escravidão

Novela ousada, “Novo Mundo” chegou ao fim na noite desta segunda-feira, 25 de setembro. No entanto, mesmo abordando a história do Brasil, a trama preferiu não priorizar alguns assuntos que, evidentemente, estão marcados na nossa história. A trama preferiu mostrar a os bastidores da independência brasileira, mostrando o protagonismo da princesa Leopoldina nesse processo.

A trama também destacou justamente o caráter ambíguo de Dom Pedro, que se mostrou um tanto despreparado para lidar com o cargo. Em relação a escravidão, dois motivos foram importantes para a decisão de não mostrá-lo como destaque, sendo que o principal o horário. A Globo não se planejou para tratar desse assunto nessa novela, o que requer certos cuidados, ainda mais quando se sabe que certas cenas poderiam causar impacto. Além disso, abordar um assunto tão abrangente como esse poderia fazer o público se perder, já que a trama tratou da questão indígena. Informações com base na análise do colunista Maurício Stycer.

Autores de “Novo Mundo” se preparam para novo projeto

Alessandro Marson e Thereza Falcão eram dois nome desconhecidos, porém, os autores ganharam notoriedade com o sucesso de “Novo Mundo”, trama exibida na faixa das 18h que foi encerrada na noite desta segunda-feira (25/09), na Globo.

Veja também:

Após o resultado positivo da saga que contou a história de Dom Pedro, os autores já começaram a escrever um novo folhetim juntos, mas que ainda não tem uma data para ser exibido e nem sequer foi aprovado pela alta cúpula da emissora. O novo projeto deve ser apresentado apenas nos próximos meses, após Alessandro e Thereza voltarem de férias. Em tempo, a trama que ocupará a faixa deixada por “Novo Mundo” será “Tempo de Amar”, escrita pelo veterano Alcides Nogueira.

“Novo Mundo” não quis priorizar a escravidão (Foto: Reprodução)

Você também pode gostar