Celebridades

Em entrevista, Valesca dispara: “Quer me chamar de MC? Me chama que eu adoro…”

Com o lançamento do seu livro “Sou Dessas – Valesca Pronta Para o Combate”, para o dia 26 de agosto, na Bienal, em São Paulo, a cantora Valesca, pretende ser exemplo para as mulheres, de força e de conquistas que obteve em sua vida.

Ao colunista Bruno Astuto, da revista “Época”, a cantora falou sobre o ponto mais marcante do seu livro. “A dificuldade que minha mãe sofreu para me criar. Das vezes em que ela dormia na rua, depois do trabalho, porque não podia entrar na comunidade de madrugada por causa da violência. Quando ela trabalhava na casa de uma família, a patroa queria que ela me desse, porque achava que ela não teria condições de me criar. E estamos aí, firmes e fortes”, disse.

Quando perguntada se era cantora de pop ou funk, ela disparou: “Eu faço pop também, mas serei para sempre funkeira. Quer me chamar de MC? Me chama que eu adoro. A comunidade e o gueto nunca vão sair de mim, fazem parte da minha história. Assino Popozuda com orgulho, até porque o biótipo da brasileira é esse. A gente não tem que querer ser aquelas modelos de capa de revista…”.

Veja também:

Sobre o visual, Valesca informou que mudou o seu foco. “Não quero mais homem gritando ‘gostosa!’ para mim; eu quero é as mulheres comigo gritando pelo seu poder, colocando a voz para fora, tirar isso que está entalado na garganta.

Porém, a cantora tem um sonho que pretende realizar ainda. “Tenho uma vontade imensa de ter uma ONG que dê assistência a jovens carentes grávidas. Eu engravidei muito cedo e ia todo sábado a uma instituição onde aprendia a bordar, costurar, um ofício. Ganhava cesta básica e também o primeiro berço e as primeiras roupinhas do meu filho. Queria devolver isso para o mundo, sei o quanto é dolorido”.

Por fim, Valesca revelou o seu gosto musical, e causou surpresa. “Maria Bethânia. Eu amo aquela voz, aquela emoção, aquela maneira teatral de cantar e dizer as palavras. A gente vive em mundos diferentes, ela é muito reservada, mas foi muito revolucionária. Quem sabe um dia possamos cantar juntas? Seria um sonho para mim. Mas também ouço muito Gal Costa e Ivete”.

Valesca (Foto: Reproduçao)

Valesca (Foto: Reproduçao)

Curtidas

Você também pode gostar