Emissoras, Noticia

Em crise, Band acumula dívida bilionária, briga na família e com a Justiça

Nesta segunda-feira (4), após a Justiça criticar a inércia das irmãs Saad – Márcia de Barros Saad e Maria Leonor Saad, houve uma interdição de Johnny Saad a presidência da Band. No momento, a emissora está passando por uma grande e delicada crise. Por isso, o canal está em todos os veículos de comunicação e as informações assustam.

A emissora não vai bem desde 2014, sendo assim, os diretores foram orientados a fazerem alguns cortes e executar demissões, que ocorreram nestes últimos anos. Além de programas serem retirados do ar. De acordo com o site NaTelinha, os profissionais da Band vinham percebendo uma certa tensão na família Saad.

Sem dinheiro para poder investir em sua programação, o clima dos bastidores da emissora era desolador. Porém, uma esperança surgiu no final do ano passado e início de 2019, já que pessoas de alto escalão do canal garantiram que este ano tudo voltaria ao normal. No entanto, com a briga na família Saad vindo a público, os funcionários voltaram a ficar com medo, pois as demissões podem ocorrer mais uma vez. Os profissionais andam evitando perguntar sobre a situação.

Veja também:

Com a pior crise financeira da história, a Band acumula dívidas que estão em, mais ou menos, R$ 1,2 bilhão. Vale lembrar que, parte desta dívida é de bancos cobrando juros e direitos de futebol a Globo. Há boatos de que as irmãs Saad não querem tirar Johnny do comando, mas querem profissionalizar todos os segmentos do grupo e que seu cargo seja trocado a cada três anos.

Johnny Saad, CEO da Band (Foto: Reprodução)

Você também pode gostar