Celebridades

Elke Maravilha agradece ao Brasil por ter recebido sua família refugiada da Rússia

Durante o programa “Encontro com Fátima Bernardes”, Elke Maravilha relembrou passado em que família era refugiada política “Meu pai, minha mãe e meus avós paternos vieram da Rússia [na época, União Soviética] para Itabira em Minas Gerais”, disse.

“Meu pai era prisioneiro político na Sibéria. Veio a famosa Guerra das Neves e ele lutou como guerrilheiro na Finlândia”, contou a ex-modelo. “Meu pai achava uma covardia, não tinha sangue finlandês, mas era pela justiça. A Finlândia venceu a guerra, mas em consequência, quem sobreviveu foi preso nos campos de concentração na época de Stalin”, finalizou.

Em determinado momento da atração, a eterna jurada polemizou e falou sobre o atentado na França e também sobre a tragédia ambiental na cidade de Mariana, em Minas Gerais.

Veja também:

“Desde setembro que a França bombardeia o ISIS. Era de se esperar o ataque. Quem planta banana não colhe cereja”, bradou ela sobre os ataques em Paris. Depois, fez uma comparação com a destruição ocasionada pela queda da barragem da Samarco: “o descaso é muito pior que a guerra”.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Curtidas

Você também pode gostar