Noticia, Programas

Edições curtas do Jornal da Record focarão em jornalismo com stories, tweets e memes

Segundo informações do colunista Maurício Stycer, do UOL, a Record TV anunciou nesta quinta-feira (5) as novidades em seu departamento de jornalismo, como as quatro edições curtas do “Jornal da Record” ao longo da programação, adicionando 45 minutos por dia de notícias ao vivo, com estreia na próxima segunda-feira (09). O principal telejornal da emissora estreará um novo cenário e vinheta.

Janine Borba e Sérgio Aguiar apresentarão os boletins, que terão cerca de 10 minutos cada, sendo um pela manhã, dois à tarde e um à 0h30. Por isso, os programas Hoje em Dia, Cidade Alerta e as reprises de novelas vão perder parte do tempo. Celso Freitas e Adriana Araújo comandarão o Jornal Record principal.

Antônio Guerreiro, vice-presidente de jornalismo, prometeu que as quatro edições curtas do JR não vão repetir as notícias, sempre com entradas ao vivo de repórteres da emissora. Além disso, ele afirma que recebeu a missão de “reinventar a maneira de levar a notícia ao espectador” ddesde que entrou no canal no início de 2019. Sendo assim, a Record contratou quatro profissionais para a área de “jornalismo de dados”. Esta área é responsável por ver o que rola nas redes sociais e os assuntos que mais interessam o espectador (trends) e levar estes temas para os telejornais da emissora em todas as plataformas existentes. “Vamos fazer o telejornal onde o espectador estiver, em stories (Instagram), em tuites (Twitter) e memes (Facebook)”, disse ele.

Veja também:

Uma das grandes novidades do Jornal da Record é um telão vertical. “Pode mandar a imagem em pé, sem problemas”, disse Guerreiro, falando em referência a William Bonner, da Globo, que insistiu com os espectadores, no ano passado, que enviassem vídeos na horizontal para o Jornal Nacional. “As pessoas querem se ver no jornal. Temos um pacto com o telespectador que vai se intensificar agora”, declarou Adriana Araújo. Janine Borba afirmou que os boletins darão as notícias de forma cuidadosa: “Não será uma sangria desatada. Não é encher a cabeça do espectador, senão a gente não informa nada”, disse. Sergio Aguiar, que será último deles, de madrugada, será “mais analítico”, com política e economia.

Janine Borba e Sérgio Aguiar no Jornal da Record (Foto: Reprodução)

Você também pode gostar