Curiosidades

Conheça os versos mais macabros encontrados nos discos de Xuxa tocados ao contrário

Atualmente, Xuxa Meneghel é contratada da Record. A emissora é controlada por bispos ligados à Igreja Universal do Reino de Deus, denominação que é de cunho evangélico. No entanto, a contratada deles tem uma polêmica religiosa das grandes em sua história. Por muitas vezes, a eterna Rainha dos Baixinhos foi vítima de acusações de que teria feito um pacto com entidades diabólicas.

A maior parte dos boatos tiveram início entre meados da década de 80 e 90, com os famosos discos que eram tocados ao contrário. Por isto, reunimos nesta matéria os indícios mais macabros que comprovam esta tese argumentada por muitos e tratada hoje em dia com esquecimento.

Três Patinhos

A canção foi tocada de trás para a frente pelo youtuber Roger Edon. Em um vídeo publicado em meados de julho deste ano, ele tentou desmistificar os boatos e acabou ouvindo o que menos queria. Foram encontrados trechos em que diz: “Parabéns para a corja do diabo/ Venha, psiu, au au au/ Ah, vou mandar evangélicos à m*rda/Garoto corrompeu/Vem nosso diabo dominar/Tem corpo macio, levando folheto pra virar sensação/Tu me enche tanto de saudades, de carícias/Oh, que velho chato/Tem um morto na chuva”. Veja:

Meu Cãozinho Xuxo

Este é o relato considerado mais polêmico de todos nas músicas de Xuxa tocadas ao inverso. A canção lançada em 1986 e composta por Rogério Enoé Messias Corrêa foi a responsável por iniciar os boatos de que a apresentadora era diabólica. O assunto foi tão repercutido que virou matéria no Programa do Ratinho. Há trechos em que, perfeitamente, é possível ouvir: “Meu anjo é o diabo/O mundo tem que ter esse seu amor que recebo/Quando percebi que com você era tudo mais gostoso“. No final da gravação, Xuxa ainda aparece chorando. Ouça:

Lua de Cristal

Veja também:

Neste caso, o compositor da canção teve de se defender. Michael Sullivan, autor da música em questão, se esquivou das acusações de que teria feito uma letra para que Xuxa emitisse uma mensagem subliminar de cunho diabólico. “Todo o meu trabalho com a Xuxa foi de criar conteúdo inédito, construtivo e de cunho didático para as crianças. Todas as mensagens foram e são passadas de forma explícita. Nosso [meu e da Xuxa] dom é e foi compartilhado de forma clara e em bom português. Qualquer disco que você girar ao contrário trará palavras e sons distorcidos“, disse Sullivan em entrevista ao Mundo Estranho. Nesta faixa, é possível ouvir trechos em que é citado “Lú”, onde muitos dizem que é uma maneira de referenciar Lúcifer. Também é perceptível as frases: “Diabo do amor/Anjo lindo da luz/Ele me faz bem“. Ouça:

Marquei um X

Nessa música, lançada em 1992 e composta por Sarah Benchimol e Fafy Siqueira, é nítido que Xuxa diz, logo no início, com bastante ênfase: “Exú reina“. Em outros trechos considerados mais macabros da canção, é dito: “Olha só, eu confesso, sou de Exu e Exu reina“. Ouça:

Xuxa Meneghel (Imagem: Divulgação)

Você também pode gostar