Colunas

Coluna Papo Sincero: A crise econômica sendo tratada nas emissoras brasileiras e nos EUA

Nos EUA não há uma emissora hegemônica, ABC, CBS, FOX, etc, etc, todas tem qualidade de sobra e todas essas conseguem um certo tempo na liderança, mesmo que uma consiga menos tempo que a outra. Fico me perguntando, como deve ser anunciar em alguma emissora nos EUA?! As empresas devem ter uma grande opção de escolha, entre horários, emissoras e preços, e isso deve ser excelente para o lucro empresarial.

No entanto, o que vim tratar aqui é a qualidade que é passada ao telespectador no Brasil. Nos EUA você liga a TV aos domingos e tem algum programa que te agrade, que não te cause tédio de assistir, ou te faça vê-lo apenas por falta de opção, já no Brasil a história é outra, bem diferente. Muita gente acha bizarro fazer uma comparação desse tipo, tendo em vista que o Brasil é um país emergente e em crise, no qual as emissoras estão ‘lutando’ para sobreviver mediante à fatores como a alta do dólar.

Veja também:

A Band está fazendo parceria financeira com a gigante americana Turner e a Globo começou o ano fazendo cortes de produção, a Record e o SBT começaram 2016 demitindo funcionários, a situação não está fácil, entretanto a crise é mundial, e tem programas que não são dignos de serem transmitidos. Há várias atrações que o público assiste unicamente por falta de opção, e isto é lamentável. Investimentos precisam ser feitos, a crise econômica está em todos os lugares e as emissoras de verdade – como a TV Globo – conseguem contornar tal situação, porque as Brasileiras estão nessa luta?

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

Você também pode gostar