Celebridades

Carnaval 2017: Escolas de samba se reuniram em feira buscando uma forma de escapar da crise

Representantes das escolas de samba se reuniram até ontem (25/06), no Rio, com o objetivo de buscar soluções e recursos para driblar o atual momento de crise que o país vem sofrendo. Esta é a terceira edição da Feira de Negócios do Carnaval e Encontro Nacional do Samba (Carnavália-Sambacom).

De acordo com o organizador do evento, Nei Barbosa, a crise foi um dos motivos para que a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) sugerisse mudanças para o carnaval 2017. Com essas mudanças o tempo que era de 82 minutos foi reduzido para 75 minutos e a quantidade máxima de alegorias que era de 7, foi reduzida para 6 alegorias.

A gestão do carnaval, a importância dos setores cultarais, liga e associações, também estavam na pauta . Outra bancada discutiu o carnaval de rua, incluindo na conversa representantes de blocos como Cacique de Ramos, Bola Preta e Clube de Samba, com o intuito de falar sobre a atual situação e o crescimento dos blocos.

 

Espaço da Feira “Carnavália” / Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil