Celebridades, Noticia, Programas

Bárbara Paz fala sobre a índole de sua personagem em O Outro Lado do Paraíso

Interpretando a personagem Jô na novela O Outro Lado do Paraíso, a atriz Bárbara Paz compareceu na manhã desta quarta-feira, 01 de novembro, no programa Encontro, da TV Globo, e comentou um pouco mais sobre a índole da amiga de Nathanael (Juca de Oliveira), advogado que planeja separar seu filho Henrique (Emílio de Mello) de Elizabeth (Glória Pires).

“Ela quer ser a outra. A Jô quer tudo, a casa, o marido, o carro. A mulher é muito invejosa. Ela é nojenta, você vê de cara que ela não presta”, declarou a global, que ainda acrescentou: “Ela não tem problema com a maldade dela, ela não enxerga isso. Ela é leve, faz isso sem dor nenhuma. Ela tem traços psicóticos. Aonde vai dar isso vocês vão ver nos próximos capítulos. Vai acontecer muita coisa”.

Bárbara Paz fala sobre Jô no Encontro (Foto: Reprodução/Globo)

Bárbara Paz fala sobre Jô no Encontro (Foto: Reprodução/Globo)

Vítima de racismo, atriz de O Outro Lado do Paraíso comenta sobre preconceito na vida real

A atriz Erika Januza, que interpreta a empregada Raquel em O Outro Lado do Paraíso, sabe muito bem o que significa a palavra preconceito, isso porque, assim como sua personagem, a artista já enfrentou muitos deles na vida real por causa de sua cor de pele. “Sofri [preconceito] a vida inteira e ainda sofro. No dia a dia, eu já passei por muitas coisas. Há uns cinco meses, por exemplo, um cara brigou comigo no sinal e falou: ‘Tinha que ser neguinha mesmo’. Na hora, me deu um ódio tão grande que eu não consegui reagir. É muito doído”, declara Erika, em entrevista ao site Notícias da TV.

“A questão de agora ser atriz ameniza um pouco, mas o preconceito velado às vezes é pior do que o explícito. A pessoa te encara de cima a baixo, fica olhando de rabo de olho. Ela nem precisa falar nada, porque você sente”, complementa ela, que já trabalhou na série Subúrbia, em 2012, e antes de se tornar atriz já foi secretária de uma escola no interior de Minas Gerais.

Veja também:

No mais, ela ainda falou a respeito de sua preparação para viver Raquel, personagem que sofre preconceito da patroa e que namora às escondidas com o filho da mesma. “Eu já tive namoros em que a família do cara era contra por causa da cor da minha pele. Minha avó me contou coisas que me deixaram indignada, ela era tão humilhada! Fiquei revoltada com a maneira horrível como ela, meu pai e os irmãos dela eram tratados”, comentou.

Em seguida, Erika defendeu o tema abordado na trama escrita por Walcyr Carrasco: “A novela vem para levantar essas questões. Algumas pessoas reclamam, ‘mas vai falar disso de novo?’, porém é um tema que deve ser falado sempre. Se está acontecendo, precisa ser debatido”, disse.

Ao final, a global ainda revelou que muita gente se identifica com suas atuações na TV: “Quando eu era criança, não tinha ninguém em quem me espelhar. Hoje, sinto que há um orgulho maior por ser negra. As meninas chegam para mim e falam: ‘Você me representa’. Fico até arrepiada”, afirmou.

Erika Januza interpreta Raquel em O Outro Lado do Paraíso (Foto: Reprodução/Globo)

Erika Januza interpreta Raquel em O Outro Lado do Paraíso (Foto: Reprodução/Globo)

Você também pode gostar