Noticia, Novelas

Autor de Orgulho e Paixão diz que beijo gay colabora para que o preconceito diminua

O capítulo de Orgulho e Paixão, da Globo, na última quarta-feira (12), teve o seu primeiro beijo gay no horário das 18h. A cena entre Luccino (Juliano Laham) e Otávio (Pedro Henrique Müller) foi marcada por amor e delicadeza. “Essa trama, que já estava prevista, se desenvolveu no momento certo, assim como a trama dos outros casais da novela que se apaixonaram”, diz o autor Marcos Bernstein.

Bernstein, o principal autor da trama, ainda afirma que Orgulho e Paixão traz o amor em sua diversas formas. “Em Orgulho e Paixão, outras tramas repercutiram tanto ou mais do que o romance de Otávio e Luccino. Acredito que essa trama, que já estava prevista, se desenvolveu no momento certo, assim como a trama dos outros casais da novela que se apaixonaram. O casal Aurélio (Marcelo Faria) e Julieta (Gabriela Duarte), por exemplo, também foi um casal que teve sua trama bem amarrada e desenvolvida para que o público embarcasse nesse romance, que a princípio parecia impossível. Todos os casais geraram grande empatia no público, pois foram construídos com muita leveza e delicadeza, como é o DNA da novela”.

Além disso, o autor diz que tratar de assuntos como aceitação e preconceito foi um grande desafio. “A novela nunca se propôs a ser um retrato fiel da época. E sim, a criar um universo próprio, com espaço para o lúdico e o lírico. Por isso nos sentimos muito à vontade para tratar de temas atuais, até com uma certa liberdade quando se tratando de uma novela de época. É uma característica da novela como um todo trazer temas atuais da sociedade com muita sutileza e delicadeza. Os temas de ontem acabam se misturando com a atualidade. Trazer isso para a tela com leveza e naturalidade é um grande desafio”, declara.

Veja também:

Marcos Bernstein diz que acredita que uma cena como a de Juliano Laham e Pedro Henrique Muller colabora para que o preconceito diminua: “A cena teve uma repercussão muito mais positiva do que negativa por parte do público, e isso já é uma boa resposta. Acredito que os atores também são grandes responsáveis por isso. É muito gratificante ver na tela o resultado da delicadeza deste trabalho. Os atores Juliano Laham e Pedro Henrique Muller se comprometeram em entregar o melhor resultado possível, e isso é muito bom. O Laham veio trazendo desde o início uma atuação muito discreta, que foi explodindo ao longo da novela, com muita competência, já o Pedro Henrique Muller, que estreou na TV com esse papel, mostrou a que veio”.

Luccino (Juliano Laham) e Otávio (Pedro Henrique Müller) em Orgulho e Paixão (Foto: Reprodução)

Você também pode gostar