Celebridades

Apresentador que chamou Ludmilla de macaca rebate críticas e se defende: “Não fui ouvido”

O Brasil inteiro se dividiu recentemente. Alguns apoiaram a decisão da RecordTV de demitir Marcão do Povo, já outros defenderam o apresentador do “Balanço Geral DF”, que teria usado uma gíria regional ao se referir à cantora Ludmilla como “pobre macaca”.

Acusado de racismo por fãs da cantora, Marcão se defendeu em entrevista ao “Observatório da Televisão” e disse que ainda está na RecordTV: “Me deixa muito triste ver o que está acontecendo. Escreveram mentiras sobre mim, publicaram palavras distorcidas, vídeos difamatórios e reeditados, com um único objetivo acabar com minha reputação e da minha família. Fico preocupado com o conteúdo que algumas emissoras de TV, rádios, jornais impressos e on-line estão levando para povo. No vídeo que está circulando sobre mim e nítido ver que em momento algum eu cometo ato racista, pois eu não referi a cor da pele de ninguém, não usei impressão alguma de cunho difamatório. Usei sim um jargão regional que usamos em grande parte do Brasil. Agora escreveram nos jornais que eu disse “pobre e macaca”, olha, é só ver o vídeo que verás que jamais eu disse o que estão publicando”, afirmou o apresentador.

Veja também:

“Alias, eu também referi a minha pessoa como “pobre macaco”. Mas como é do conhecimento de todos, isso eles não publicaram. Porque isso não vende”, disse Marcão. Sobre sua demissão, Marcão disse: “Até agora faço parte da Record. Eu fui notificado e fiz minha contra notificação”.

Marcão do Povo (Foto: Reprodução/Internet)

Você também pode gostar