Celebridades

Andressa Urach ficará com bumbum assimétrico por cerca de 2 anos

Como já se sabe, Andressa Urach passou por uma nova cirurgia neste último domingo, 1 de março e, por conta disso, ficará com o bumbum assimétrico por dois anos segundo o cirurgião responsável pelo caso, o doutor Felipe Tozaki.

“A inflamação que ela tinha na coxa esquerda subiu para o glúteo esquerdo. Fizemos ultrassom e tinha uma coleção líquida na região. Ela estava com muita dor, então indiquei uma drenagem cirúrgica para colher a secreção”, explicou Tozaki.

Ele percebeu que a região estava rígida e achou melhor abrir a pele para retirar o excesso de preenchedores. “Tinha muito PMMA (metacril) e hidrogel. Muito”, enfatiza. O médico retirou parte do material, limpou a região e deixou um dreno para colher a secreção.

Andressa ainda deve ficar de cinco a sete dias internada com um dreno no glúteo, além de ficar recebendo antibióticos. O médico explica que a secreção do corpo não é infecciosa, é um seroma, secreção que o corpo produz quando rejeita materiais estranhos. “É uma proteção natural que nosso corpo produz quando rejeita alguma prótese ou material, e sai por furinhos na pele. Mas no caso dela não estava saindo, e quando fica parado é perigoso, porque bactérias podem aparecer”, detalha o médico. Apesar de tudo, o estado geral de Andressa é bom.

 Por conta do problema, Andressa ficará com o lado esquerdo do bumbum menor do que o direito.  “O mais importante neste momento é cuidar da saúde e da vida dela. A parte estética a gente resolve depois”, diz o médico. Posteriormente, se Andressa desejar, ela pode fazer um enxerto de gordura dela mesma, que oferece menos riscos de rejeição, ou prótese de silicone. Estas intervenções só poderiam ser feitas em um ou dois anos. Tirar os preenchedores do lado direito seria perigoso, avalia o médico. “Mexer nisso aí é como mexer numa colmeia de abelha. Se tá quieto, é melhor não mexer”, defende.