TMZ defende Justin Bieber e diz que policia mentiu

Parece que  Justin Bieber e o rapper Crazy Khalil não teriam realizado um racha em Miami, ao contrário do que alega a polícia da cidade. De acordo com informações obtidas pelo site especializado em celebridades TMZ, o cantor e o amigo não chegaram nem a ultrapassar o limite de velocidade permitida na via em que estavam – informação que teria sido forjada pelas autoridades.

 Os carros que Bieber e Khalil dirigiam no momento da prisão – duas Lamborghinis alugadas – contavam com um GPS que também registrava a velocidade atingida por eles. E segundo esses dados, obtidos pelo site, os dois estavam a cerca de 43 km/h na rua em que foram abordados pela polícia, abaixo do limite permitido de 48 km/h. O relatório policial atestava que eles estavam correndo a uma velocidade que variava entre 88 e 97 km/h.

Quando Justin e Khalil deixaram uma casa noturna, na madrugada de quinta-feira, um dos carros estava a 83 km/h e o outro, a 75 km/h. Pouco depois, os dois diminuíram significativamente a velocidade e, cinco quadras antes de serem notados pelos policiais, estavam a 54km/h – já em um local cujo limite era 48 km/h. Alguns metros depois, eles reduziram para 43 km/h.

O TMZ também apontou que é difícil acreditar que Bieber e Khalil estivessem fazendo um racha a apenas 97 km/h, já que os carros que estavam conduzindo – Lamborghinis Gallardo LP550-2 Spyder – estão entre os carros mais velozes do mundo.

Polícia mentiu também sobre índice alcoólico de Justin
Esse não é o primeiro problema que aparece no relatório da prisão de Bieber. De acordo com o TMZ, os policiais também mentiram ao colocar no processo que o exame sanguíneo do cantor tinha apontado 0,4 de álcool no sangue, quando na verdade o resultado foi de 0.014, ou seja, muito menor do que havia sido afirmado anteriormente.

Ainda de acordo com o site, uma pessoa do tamanho de Justin apontaria um índice maior que 0.014 com apenas uma lata de cerveja, levantando a suspeita de que os políciais também mentiram quando afirmaram sentir cheiro de álcool no hálito do cantor. “Eu pedi para o motorista parar e ele me perguntou: ‘Porque você me parou?’ Eu imediatamente senti um odor de álcool emanando do hálito do motorista, que estava com os olhos vermelhos. O motorista tinha movimentos lentos e um olhar vidrado. Todos esses são indicadores de um motorista debilitado”, contou o policial que abordou Justin em seu carro no dia da prisão.

Pela lei da Flórida, pessoas com menos de 21 anos são consideradas culpadas de dirigir sob influência de substâncias, se têm 0.02% de álcool no sangue ou mais – nível que pode ser alcançado com um drinque. Para os que têm 21 anos ou mais, a tolerância é de 0.08%. No caso, Justin não teria cometido o crime de dirigir sob influência de substância alcoólica.

Fontes ligadas ao caso contaram ao site que isso poderia tirar a credibilidade de todo o processo caso os familiares de Justin decidam acusar que a polícia mentiu. A fonte ainda comentou que a polícia de Miami não tem tanta credibilidade assim por problemas no passado. “Essa força policial já teve um zilhão de problemas com isso”.