Saiba mais sobre a novela “Alma Gêmea” possível substituta de “O Rei do Gado”

A novela “Alma Gêmea” estreou no dia 20 de junho de 2005 e terminou no dia 10 de março de 2006 com um total de 227 capítulos, a novela das seis contava a história de dois seres apaixonados, um homem e uma mulher, separados pela tragédia, pelo tempo e pelas diferenças sociais até o eterno reencontro. Dividida em duas fases – começa na década de 20 e depois é ambientada nos anos 40 -, é mostrado o grande amor entre Rafael (Eduardo Moscovis), um botânico que cria rosas, e Luna (Liliana Castro), uma jovem bailarina, doce e delicada.

Quando os dois se conhecem é amor à primeira vista. Em poucos dias, eles se casam e logo têm um filho. Entretanto, no dia em que Luna faz sua primeira apresentação como bailarina principal, no Teatro Municipal em São Paulo – dia que deveria ser o mais feliz da vida do casal, ocasião que Rafael a presenteia com uma linda rosa branca preparada exclusivamente para ela, a rosa Luna – uma tragédia se abate sobre o casal.

Mas, no meio de tanta felicidade, há um espinho: Cristina (Flávia Alessandra), a governanta da casa, é também prima de Luna. Amargurada, Cristina sente-se injustiçada. Luna é rica, casada com Rafael – a quem Cristina sempre desejou – e, para completar, herdou da avó as jóias da família, as quais Luna usa no dia de sua estreia.

Toda essa alegria do casal, no entanto, é interrompida quando, ao sair do espetáculo, Luna e Rafael são surpreendidos por dois bandidos – sendo que um, Guto, é um admirador de Cristina -, que roubam as jóias de Luna. Rafael, para defender a mulher, reage ao assalto e Guto (Alexandre Barillari), assustado, atira na direção do botânico. Luna, ao perceber que o marido será atingido, coloca o corpo na frente do dele para defendê-lo e leva o tiro no lugar de Rafael. Luna é levada para o hospital, mas não resiste e morre.

Enquanto Rafael se desespera com a morte da mulher, num casebre distante nasce Serena (Priscila Fantin), filha de uma índia com um garimpeiro. Serena cresce em uma aldeia indígena com estranhos comportamentos. Às vezes, olha para um lago e vê uma flor que ela não conhece – uma rosa branca – refletida nas águas. Em outros momentos, desenha casas grandes que não existem na região, o que chama a atenção de Cleyde (Júlia Lemmertz), a professora da aldeia. Cleyde acha um mistério o que ocorre com Serena. Mas, o pajé da aldeia explica que Serena tem um sonho dentro de si e, se o sonho for forte demais, ela terá que, um dia, buscá-lo.

Os anos passam, Serena vai crescendo e, enquanto isso, Rafael nunca esqueceu Luna. Tornou-se um homem sério e fechado em si mesmo e nunca mais foi capaz de criar uma nova espécie de rosa. Quando Serena se torna moça, um jovem índio, José Aristides (André Gonçalves), a pede em casamento. Ela fica em dúvida mas, após receber a notícia da morte da mãe e presenciar a invasão da aldeia por garimpeiros – sendo que um deles é seu pai -, decide partir em busca de seu sonho.

Serena parte rumo a São Paulo, mais especificamente Roseiral, e, ao chegar na região, vai trabalhar como empregada na casa de Rafael. Quando os dois se vêem, Serena o reconhece sem saber de onde, emocionada. Ele a encara surpreso. Há um momento mágico entre os dois. Por um instante, Rafael fica estranhamente perturbado. Em seguida, ele a trata de forma rude e ela sai assustada, mas acaba sendo contratada por Cristina para trabalhar na casa. O primeiro momento de Serena na casa é de grande emoção. Ela sente algo pelo lugar e, ao se encontrar com Felipe (Sidney Sampaio), filho de Luna, imediatamente sente um impulso de mãe para filho. Ao mesmo tempo, mais importante que tudo, resta um amor que fala mais alto do que Rafael e Serena conseguem entender.

(Foto: Reprodução/Internet)

(Foto: Reprodução/Internet)