Sabrina Sato diz está amando trabalhar na Record, que é sua segunda casa

Sabrina Sato, 33, parece estar feliz com a estreia de seu programa na Record. Em entrevista ao colunista Léo Dias, ela disse estar satisfeita com o apoio da emissora, do público e da crítica.

“A gente trabalhou muito! Foi tudo muito corrido com a gente. A Record foi muito bacana dando toda a estrutura. Foi uma correria danada e a edição ficou pronta no próprio sábado. O resultado, tanto vindo do público, que é o mais importante, até os meus amigos mais populares e chiques, foi bom. Todo mundo falava que eu tinha que me preocupar com a crítica e eu não ligava. Também, não estava esperando muito (risos). Foi melhor do que eu esperava”, comentou.

Mas o trabalho está apenas começando. Uma das novidades que Sabrina quer exibir é uma entrevista com Marcelo Rezende. “Todo mundo tem curiosidade sobre a vida pessoal dele e eu queria fazer uma entrevista para ele falar de tudo. Fui para porta do estúdio onde ele grava e fiquei esperando até ele sair”, ela contou.
O ritmo de gravações está pesado (ela grava todos os dias), mas a apresentadora diz estar se sentindo acolhida na nova emissora. “Como no bandejão e estou praticamente morando na Record. Passo mais tempo lá do que na minha própria casa. Eles são preocupados e carinhosos. Toda hora vem alguém perguntar se eu já comi ou se eu quero parar um pouco para descansar”.

Sobre a “separação” do “Pânico”, Sabrina afirma que não há clima ruim entre ela e a equipe com quem trabalhou por dez anos. E garante que gostou de sua substituta, a cadela Fiel. “Eu achei o máximo. Você acha que eu não conheço o ‘Pânico’? Trabalhei muitos anos com eles. A primeira vez que eles falaram do novo integrante eu já tinha certeza que seria um cachorro. Eu queria ela pra mim, isso sim”, brincou.
Atualmente namorando João Vicente, um dos criadores do “Porta dos Fundos”, a apresentadora declarou que ele “é o cara” e que planos de casamento ficam para o ano que vem. E garantiu que, mesmo com muito trabalho, pretende continuar sempre cuidando de seu corpo e sua saúde. “Só acho que vou ficar caduca, porque eu já sou ruim de memória”, disse ela.