Record corta filme e deixa telespectador a ver navios

quero-ficar-com-polly-2004-1391433307896_615x300A Record jamais será líder em alguma coisa porque insiste em não respeitar o seu telespectador. Neste último domingo, o filme programado para o final de noite foi o já reprisado mais de trocentas vezes “Quero Ficar com Polly”, inclusive com direito a chamadas da estrela Sabrina Sato duração a programação.

É uma comédia deliciosa, que, para fechar o fim de semana, na falta de algo melhor, até seria interessante. A proposital colocação do “seria” se deve ao fato de que o filme foi literalmente “decepado” em várias partes. Algumas das suas cenas mais hilárias foram retiradas – como a de Ben Stiller dançando uma salsa pra agradar a Polly. Para quem ainda não tinha visto, o aparecimento de alguns personagens simplesmente não teve sentido nenhum.

Fazer isso com o telespectador, já em plena madrugada, é o fim de qualquer picada. E o pior é que isto já virou uma prática comum. Alguém, que não deve entender coisa nenhuma, mete a tesoura e pronto.

Fora reprisar “Velozes e Furiosos” a cada 15 dias, a Record agora deliberadamente corta o sentido dos filmes. Não sei onde está a regra, mas há sobre o direito autoral da obra, que ela não pode ser modificada a bel prazer de quem exibe. E aí?

@Flávio Ricco