Público não aceita violência neonazista em “Vitória”

Vitória (01)A voz do povo é a voz de Deus, segundo dados de pesquisa a novela “Vitória” não tem agradado o telespectador brasileiro, o maior dos motivos são as violência protagonizadas pelo seu núcleo de neonazistas.

No melodrama de Cristiane Fridman, Juliana Silveira e Marcos Pitombo integram um grupo de neonazistas que atacam nordestinos, negros e pobres. São os grandes vilões da história. A pesquisa também apontou que o público da Record não assimila o fato de Juliana Silveira, uma atriz que sempre fez mocinhas, que muitos telespectadores associam à doce Floribela da Band, hoje dê vida a uma vilã injustificada, que pratica violência gratuita.

Pela audiência de Vitória, na casa dos cinco pontos, pode-se dizer que o público a rejeita totalmente. Mas a pesquisa mostrou que há uma luz no fim do túnel: depois da violência, a maior queixa das telespectadoras é quanto ao horário de exibição da novela, simultaneamente ao da novela das nove da Globo, Império. O público noveleiro reclama um horário alternativo.