PSOL denuncia SBT e Sheherazade ao Ministério Público por apologia ao crime

Um grupo de parlamentares do PSOL protocolou na Procuradoria Geral da República (Ministério Público Federal) uma representação contra a apresentadora Rachel Sheherazade e o SBT por apologia ao crime. O grupo foi recebido pelo procurador-geral Rodrigo Janot.

Assinaram a representação o líder do PSOL na Câmara, deputado Ivan Valente (SP), o deputado Chico Alencar (PSOL/RJ), o deputado Jean Wyllys (PSOL/RJ), o senador Randolfe Rodrigues (PSOL/AP), a deputada Érika Kokay (PT/DF), o deputado Renato Simões (PT/SP) e a representante do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação e Intervozes, Beatriz Barbosa.

“A violência é feita em palavras pela Sheherazade tentando justificar uma violência absurda. E ela diz isto num meio de comunicação que é uma concessão”, afirmou Ivan Valente. “A liberdade de imprensa, que é importante e necessária, não poder ser refúgio de declarações irresponsáveis”, destacou o deputado.

O procurador-geral Rodrigo Janot informou que será aberta investigação e que, por isso, naquele momento, não poderia se manifestar sobre o caso. Janot falou sobre o programa “Segurança sem Violência”, lançado na semana passada, e disse que “nenhum tipo de violência, seja em atos ou palavras, contribui para a construção de um momento civilizatório”.