“Post do Leitor”: quando o jornalismo vira uma arma e passa a ser temido

Cada emissora sem duvidas é marcada por uma característica mais atuante em um setor, no caso da Globo isso se reflete na teledramaturgia de qualidade inquestionável, na Band o esporte é responsável por esse título, no SBT a linha de shows sem duvidas é a principal característica da emissora, já na Record isso fica para o jornalismo que é o grande responsável por segurar a audiência da emissora até mesmo em momentos de crises como o de agora.

Porém a Record deveria se preocupar um pouco mais com essa área que ao mesmo tempo que se torna uma excelente opção para o público, também comete erros tão primários que chega a ser ridículos. Eu estou falando dos ataques da emissora de Edir Macedo aos anunciantes que não queiram anunciar na mesma. Ao todo eu posso contar ao menos 3 ataques da emissora que surtiram efeitos, quem não se lembra do episódio envolvendo a polêmica em que restos mortais de ratos teriam aparecido dentro da garrafa de refrigerante da maior empresa do setor no mundo ? Eu estou me referindo a Coca-Cola, pois bem a Record usou a informação para tantos ataques e destaque nos seus telejornal a ponto de prejudicar as vendas da marca que até então anunciava raramente na emissora e depois disso passou a anunciar com muito mais frequência e a partir daí nunca mais foi visto um ataque a empresa vinda da Record.

Um caso interessante também foi o caso envolvendo uma rede de supermercados que não anunciava muito na Record, eu estou me referindo a Rede Wallmart (Big, Bom Preço e Hiper) E viu seu nome se tornar alvo de ataque vindo da emissora que promoveu o ataque no “Jornal da Record” e também no “Fala Brasil” até que a rede de supermercados mandou um representante comercial a emissora para acertar detalhes para a reprodução de anúncios publicitários da mesma. Até hoje nunca mais a emissora dos bispos promoveu um só ataque a rede de supermercados.

E para finalizar quem não se lembra de uma polêmica envolvendo o banco HSBC onde a Record promoveu inúmeras reportagens na sua programação alegando que o banco poderia está envolvido em possíveis fraudes contra a Receita Federal (até o momento nada foi provado) e depois que o banco passou a anunciar na Record, nunca mais a emissora cometeu um se quer ataque ao banco. Os abusos foram tão visíveis que certos anunciantes chegaram procurar o Ministério Público para prestar queixa contra a emissora a acusando do uso indevido do poder de informação. Em sua defesa a emissora negou e alegou que apenas cumpre o seu dever que é retratar fatos jornalísticos afim de poder levar informação ao seu público.

Texto do leitor: Jean Santos

(Imagem: Divulgação/Record)

(Imagem: Divulgação/Record)