Porquê o SBT só tem conseguido obter sucesso com produtos infantis?

Em meio a uma era onde a família brasileira quer se livrar das novelas da Globo que de fato refletem um cenário atual da família e da população brasileira, algumas emissoras se aproveitado pra ir na contramão disso tudo. No caso da Record isso fica para os produtos bíblicos e já no caso do SBT isso fica para os produtos infantis.

A emissora de Silvio Santos só tem apresentado produtos infantis nos últimos anos como foi o caso da novela Carrossel que foi considerada sucesso de audiência e público e por conta disso foi esticada chegando a incríveis mais de 400 capítulos. Agora o SBT leva ao ar como produto “inédito” (em termos de produção no Brasil) a novela Chiquititas que também tem um grande sucesso de audiência chegando a médias de aproximadamente 12 pontos.

Agora a escritora Iris Abravannel que também é esposa de Silvio Santos, prepara mais um remake que deverá substituir chiquititas, até o momento sabe-se que o produto terá como nome “Patinho feio”. Além disso sabemos que o SBT investe pesado no que se refere a programação infantil com os programas Bom Dia e Cia, Carrossel animado e outros. O prestígio desses programas são tanto que a emissora abril mão do Notícias da Manhã comandado pela jornalista Neila Medeiros, para transmitir desenhos. Uma atitude que eu considero genial, se feita por uma pessoa retardada. Acho que o SBT tem mais facilidades com esses produtos pelo fato dos mesmos serem bem aceitos pela família brasileira e pelo público infantil e também por medo da Globo que mesmo em uma fase péssima ainda consegue ser líder absoluta em audiência com um mix de novelas. Afinal o SBT tem medo de fazer a mesma coisa que a Record fez, jogou um produto de enredo normal e viu Amor á Vida, Império, Avenida Brasil e outras simplesmente esmagarem as suas novelas.

Não sei se consigo entender a atitude do SBT. Mas pouco importa nesse momento em que uma tese sobrevive na tv Brasileira: Se dar audiência deixa no ar. Mas devemos observar que a TV está em movimento e quem não arrisca acompanhar, fica pra trás.

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)