Polêmica: Afiliada da Record no PR aparece em lista da Operação Lava Jato

Quem diria um dia aquele que divulga a notícia acaba sendo o cenário de toda a situação. Foi o que aconteceu na lista divulgada ontem (14) ao jornal O Estado de São Paulo, onde a receita federal inclui a TV Independência S/A na lista das empresas de fachada do ex-deputado André Vargas (PT-PR) e que foi preso na última sexta-feira na 11ª fase da Operação Lava Jato. A tal TV citada em questão, nada mais nada menos se trata da afiliada a Record no estado do Paraná, a RIC TV, sigla para Rede Independência de Comunicação e que virou notícia. Desde quando foi divulgada a tal lista, de acordo com a coluna do Flávio Ricco a direção anda de cabelos em pé.

Nas eleições de 2014, além da emissora estar incluída nos repasses ilegais, a maior empresa de carnes bovinas do mundo, a JBS, mais conhecida por uma de suas marcas, a Friboi, repassou cerca de R$ 352 milhões a candidatos para cargos presidenciais, senado e a deputados. A campanha do atual senador Aécio Neves, candidato do PSDB a presidência na época, recebeu doações de R$ 48 milhões da JBS. Já a TV Independência se inclui na lista com cerca de R$ 60 mil em doações a serviços não prestados, e deve explicações a Receita Federal que investiga o caso.

Em destaque na cor amarela, vê-se a empresa JBS como a maior produtora de rendimentos. Já a última da lista, trata-se de uma afiliada da Record no estado do Paraná, a RIC TV.  (Imagem: Divulgação/Receita Federal)

Em destaque na cor amarela, vê-se a empresa JBS como a maior produtora de rendimentos. Já a última da lista, trata-se de uma afiliada da Record no estado do Paraná, a RIC TV.
(Imagem: Divulgação/Receita Federal)