Pianista georgiana toca na Temporada 2014 da Cultura Artística

Reconhecida pela crítica internacional como especialista em Schumann, uma das grandes pianistas e professoras da atualidade é a primeira atração de agosto da Temporada 2014 da Cultura Artística. Nascida na Geórgia, educada na Rússia e lecionando na Alemanha, Elisso Virsaladze mostra sua vasta experiência, resultado do cruzamento de distintas culturas, nos dias 11 e 13, na Sala São Paulo.
A família Virsaladze é tradicional entre os georgianos: o pai e o avô de Elisso foram médicos proeminentes, e sua avó, Anastassia, que a iniciou na música, aos oito anos de idade, possuía uma importante carreira de pianista e professora de piano.
Depois de se formar no conservatório de sua cidade natal, Tbilissi, Virsaladze mudou-se para Moscou, onde, em 1962, aos vinte anos de idade, ficou em terceiro lugar no célebre Concurso Tchaikovski.
Porém o mais importante, na capital russa, foi prosseguir os estudos com dois mestres hoje legendários: Heinrich Neuhaus e Yakov Zak, pilares daquela que ficou conhecida como escola russa do piano. Além de influenciarem profundamente o desenvolvimento artístico de Virsaladze, Neuhaus e Zak também a fizeram mergulhar na renomada tradição russa de ensino do teclado. Não surpreende, assim, que hoje ela também seja conhecida como uma professora excepcional, cujos alunos vêm sendo laureados em concursos de piano pelo mundo todo.
Lecionando no Conservatório de Moscou e na Hochschule de Munique (Alemanha), Virsaladze tem duo com a violoncelista Natália Gutman, e se apresentou com regentes como Rudolf Barschai, Kyril Kondraschin, Riccardo Muti, Kurt Sanderling, Wolfgang Sawallisch, Evgeny Svetlanov e Yuri Temirkanov, dentre outros.
Com vasta carreira fonográfica para o selo Live Classics, tem nessa temporada uma concorrida agenda de recitais, apresentações com orquestra, masterclasses e júri de concursos na Rússia, Itália, Alemanha, Geórgia, Taiwan, Japão, Sérvia, Suíça e EUA. Já se apresentou no Brasil em 2005, na Temporada da Cultura Artística, acompanhada da Filarmônica de São Petersburgo.
Aos 24 anos de idade, Elisso Virsaladze foi a primeira colocada no Concurso Schumann, em Zwickau (cidade natal do compositor, na Alemanha) e, desde então, vem sendo descrita pela imprensa especializada como uma das grandes intérpretes deste autor. Além disso, possui particular apreço pelos compositores do final do século XVIII e do século XIX – exatamente o período que ela aborda em seus recitais paulistanos, focados em obras de Mozart, Brahms, Haydn e Schumann.

Obras do programa
Mozart – 9 variações sobre “Lison dormait” em dó maior, K. 264
Em 1778, aos 22 anos de idade, Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) passou seis meses em Paris, em busca de fama e fortuna. As variações sobre o tema da ária “Lison dormait”, da ópera cômica “Julie”, de Nicolas Dezède (1740-1792), refletem o clima artístico galante e ligeiro que predominava na França, naquela época.
Brahms – Sonata n. 1 em dó maior, op. 1
Aos 20 anos de idade, o então desconhecido Johannes Brahms (1833-1897) chegou à casa do célebre Robert Schumann munido de algumas partituras – dentre as quais, a “Sonata n. 1”, que impressionou tanto o colega mais velho que Schumann imediatamente recomendou sua publicação. A curiosidade é que essa era, na verdade, a segunda sonata escrita por Brahms: o compositor resolveu inverter a ordem de edição, preferindo publicar primeiro a obra que considerava de melhor qualidade.
Haydn – Andante com Variações em fá menor, Hob.XVII:6
“Pai” da sinfonia e do quarteto de cordas, Joseph Haydn (1732-1809) também compôs prolificamente para o piano. O “Andante com Variações”, de 1793, foi dedicado à pianista Barbara (“Babette”) von Ployer, para a qual Mozart escrevera dois de seus concertos para piano, porém o final algo trágico da obra levou alguns estudiosos a acreditarem que ela está associada à morte súbita, aos 38 anos, de Maria Anna von Genzinger, uma das mais fiéis amigas e correspondentes do compositor.
Schumann – 12 Estudos Sinfônicos Op. 13
Embora muito se fale da importância da esposa, Clara, para o desenvolvimento da linguagem pianística de Robert Schumann (1810-1856), os “Estudos Sinfônicos” são testemunho de outro amor do compositor: Ernestine von Friecken, de 16 anos, cujo pai, um flautista amador, forneceu o tema principal da obra, a partir do qual Schumann tece uma série de variações.

SÉRIE BRANCA – 11 de agosto, segunda-feira, 21h
SÉRIE AZUL – 13 de agosto, quarta-feira, 21h

Mozart – 9 variações sobre “Lison dormait” em dó maior, K. 264
Brahms – Sonata n. 1 em dó maior, op. 1
Haydn – Andante com Variações em fá menor, Hob.XVII:6
Schumann – 12 Estudos Sinfônicos Op. 13

Os próximos concertos da Temporada 2014
24 e 25 de agosto: Joyce Di Donato – Mezzosoprano
8 e 9 de setembro: Orquestra Filarmônica de Dresden – Michael Sanderling (Regência) e Carolin Widmann (Violino)
14 e 17 de setembro: Orquestra Sinfônica de Lucerna – James Gaffigan (Regência) e Renaud Capuçon (Violino)
8 e 11 de outubro: Orquestra de Câmara da Basileia – Giovanni Antonini (Regência) e Sol Gabetta (Violoncelo)
11 e 13 de novembro: Ensemble Artaserse – Philippe Jaroussky (Contratenor)