O Comodismo do Sbt Preocupa o Mercado Publicitário

A falta de Investimento do SBT em sua programação está chamando a atenção de todo o mercado publicitário. Dividindo a vice-liderança na audiência com a Record, a emissora precisa planejar ações a longo prazo, sem depender apenas dos mecanismos atuais, que ainda fazem um certo efeito.

Sua principal concorrente já deu sinais de que irá aumentar a carga de produção e os efeitos acabarão sendo consequência disso. A contratação de César Filho, o retorno do Gugu, novo horário de novela e a nova atração de Marcelo Rezende são algumas das novidades já anunciadas até agora.

Enquanto isso, o SBT continua, há muito tempo, esperando o bonde passar. Para o próximo ano, o canal ainda não apresentou nada que possa ser usado para aumentar a carga de produção, assim como em 2014, que de novidades não houve quase nada, exceto o “The Noite”, de Danilo Gentili.

(Foto:Reprodução)

(Foto:Reprodução)

Como aponta o jornalista Flávio Ricco, é preciso saber até quando a emissora de Silvio Santos pretende viver do seu arquivo de velharias, achando que a atual audiência será mantida. O SBT chega a ser conhecido como o “Viva da TV aberta”, ainda que sem o padrão de qualidade do outro.

Sua direção não tem agressividade e todo projeto que tem chances de mudar a atual situação é vetado, rejeitado pelo custo que poderá significar. Esse quadro atual da emissora amarra as mãos do departamento comercial e acaba com a possibilidade de entrar dinheiro novo no caixa.

A Emissora Do “Silvio Santo” precisa sair do Comodismo e da Mesmice de Sempre, e Investir no Novo!