Mulher traumatizada diz que se encontrou com OVNI.

ufo-relato_thumb

Uma ex-moradora de Novi, Michigan ainda está traumatizada por um encontro com OVNI de décadas atrás, Nancy Tremaine diz que viu um OVNI em forma de disco flutuando no céu acima de seu bairro na década de 1960, quando ela tinha apenas doze anos de idade, ela não consegue se lembrar exatamente quando o avistamento ocorreu, mas acha que foi durante o verão de 1961, ela diz que estava brincando na casa de um amigo quando o pai deste amigo chamou as meninas de fora para ver o OVNI.

Nancy Tremaine thumb Mulher ainda traumatizada após encontro com OVNI em 1960

Ela descreve o objeto em forma de um disco prata, com cores vermelhas, verde e brancas. E ela diz que essas luzes estavam em rotação ou pulsante, Tremaine diz que a próxima coisa que viu foi um feixe de luz saindo do OVNI sobre um carro da polícia de um policial que estava fora de serviço naquele dia.

De acordo com o site de notícias local, HomeTownLife, o ex-chefe de polícia de Novi Lee Begole estava de plantão na delegacia na noite do avistamento, ele reconhece que delegacia recebeu um telefonema do policial que estava fora de serviço. Begole lembra: “Ele ligou e disse que havia um objeto estranho em cima de seu carro”.

Além dele, outras testemunhas teriam feito várias chamadas naquela noite, incluindo a esposa de um membro do conselho da cidade.

Depois de ver o feixe de luz, ela lembra que o pai de sua amiga lhe disse para correr para casa. É quando o evento supostamente se tornou mais do que um simples avistamento de uma nave desconhecida, Tremaine diz que, enquanto estava correndo para casa, ela sentiu uma sensação de “choque”. A próxima coisa que ela se lembra é de estar em sua casa. Ela alega que foi sequestrada pelo OVNI.

Embora ela não se lembre muito sobre o encontro, ela diz ter recuperado a memória da experiência após uma terapia de regressão.

Ela declarou recentemente: “Foi uma experiência muito traumatizante que aconteceu comigo”, e ela afirma que foi raptada por OVNI várias vezes, mas as experiências não são “prejudiciais ou assustadoras”.

O fotojornalista João Heider recentemente se juntou a Tremaine no local em Novi onde o evento ocorreu 1961. Assista a entrevista com Tremaine: