MovPak, Invenção Brasileira que Promete ser um Sucesso Mundial

Três Baianos extremamente voltado para o mundo radical e do esporte, cria uma mega novidade que facilita a vida de muitos apaixonados por skate, sem contar a economia e o beneficio para o meio ambiente.

A Novidade foi criada no Parque Tecnológico, em Salvador, compacto e considerado leve, produto é voltado para pequenas distâncias, a prancha  tem o tamanho um pouco diferenciado do skate convencional, más em compensação tem um adereço instalado na traseira que garante a estabilidade e a velocidade.

Sim! Acredite é uma invenção brasileira, e existente,mais conhecida por “MovPak”, espécie de skate elétrico com mochila acoplada desenvolvido por Hugo Dourado, Ivo Machado e Felipe Junquilho os baianos radicais que contribuíram para a mobilidade urbana.

 Nas mãos, um controle transmite, via wireless, os comandos de freio, ré e aceleração, sem qualquer necessidade de impulso.

Divulgado especialmente nos EUA , o produto está em fase de pré-venda online, ao custo de US$ 999. De acordo com a startup, o site já foi visitado por internautas de mais de 150 países. A distribuição está prevista para outubro deste ano.

A criação foi de Hugo, após uma viagem a Holanda ele percebeu um dos costumes dos moradores, que é a pratica de andar de bicicletas, algo tradicional. Como ele queria algo mais “leve” e que pudesse passar despercebido ao pegar um metrô ou um veiculo, então pensou logo na ideia do “MovPak” que em três segundos pode ser dobrado e virar uma mochila fácil de carregar e ate guardar.

 “A ideia desde o início foi estar com a mochila em movimento. Existe um problema, conhecido no mundo todo, que é o da ‘última milha’, ou seja, a distância que se precisa andar transporte público ao destino final”, aponta Ivo Machado.

Lembrando que o veiculo é elétrico e a bateria fica cheia em duas horas e tem 20 km de autonomia. O usuário pode chegar a uma velocidade máxima de 30 km/hora. Ele também é zero carbono de emissão e tem custo de energia de R$ 0,06 centavos a cada 100 km rodados, relatam os sócios.

O produto é bem legal e contribui para agilidade da pessoa, sem contar a agilidade que ele contribui  para não perder o ônibus, os garotos arrasaram na ideia e ate contribuíram para o planeta.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação