João Emanuel Carneiro fala sobre sua próxima novela, “Favela Chique”

(Foto:Reprodução)

(Foto:Reprodução)

Mesmo com a previsão de estreia apenas para setembro de 2015, João Emanuel Carneiro, 44, já está escrevendo os primeiros capítulos de “Favela Chique”, a substituta de “Babilônia”, a sucessora de “Império” no horário das 21 horas.

Em entrevista ao jornal “O Globo”, o autor contou que prefere se preparar com antecedência para a estreia. Ele se dedica ao atual projeto há um ano e meio e gosta de evitar surpresas quando a produção está no ar.

“Novela é improviso, sempre será, mas tem maneiras e maneiras de se improvisar. Prefiro ter um pouquinho mais de base, de segurança. Tem autores que não gostam de saber como será o amanhã.Eu parto como se fosse para uma guerra. Tenho várias possibilidades para saber como seguir. Eu não estou diante da página em branco. Isso me faz saber a história que quero contar”, esclarece.

O criador do sucesso “Avenida Brasil” (2012) pretende continuar mostrando pessoas que deixem o público em dúvida, como também já fez em “A Favorita” (2008). “Gosto de trazer a dubiedade dos personagens. O público evoluiu muito, se tornou um grande especialista em novelas. O telespectador já viu muitas tramas e quer se surpreender. As pessoas querem ser um pouco contrariadas, ou melhor, provocadas, às vezes”, explica Carneiro.

A história de “Favela Chique” gira em torno de um bandido, vivido por Murilo Benício, 43, que “se apaixona pela ideia de ser santo”. “Vou mostrar a redenção desse cara. Ele se envolve com duas mulheres, interpretadas por Giovanna Antonelli e Andreia Horta”, conta o autor.