Imprensa diz que polícia francesa invadiram dois cativeiros e mataram sequestradores

A polícia francesa invadiu os dois cativeiros — um em em Dammartin-en-Goële, a cerca de 40 km de Paris, e outro no bairro de Vincennes, na capital — onde radicais islâmicos mantinham reféns desde a manhã desta sexta-feira (9). Todos os sequestradores teriam sido mortos na operação, afirma a imprensa local.

Em Dammartin-en-Goële, estavam os irmãos suspeitos pelo atentado da última quarta-feira (7) à revista Charlie Hebdo. Segundo o jornal “Le Monde”, eles teriam sido mortos na operação. Fortes explosões foram ouvidas em Dammartin-en-Goële, a cerca de 40 km da capital, por jornalistas da AFP e é possível avistar fumaça saindo do local em imagens do canal BFM-TV.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Os dois suspeitos de terem cometido o atentado à revista tinahm feito uma pessoa refém em uma pequena empresa especializada em impressão e publicidade, em Dammartin-en-Goele, não muito longe do aeroporto Charles de Gaulle.

Agências de notícias informam que os possíveis atiradores estariam dispostos a “morrer como mártires”.
Poucos minutos depois da invasão à empresa em Dammartin-en-Goele, foram ouvidos tiros e explosões na loja judaica onde ocorria um segundo sequestro, em Vincennes, Paris. Ao menos cinco pessoas foram feitas reféns. De acordo com a AFP, o homem, que estava armado com duas pistolas automáticas e um fuzil, atirou contra duas pessoas antes de entrar no mercado.

O homem é o mesmo que matou uma policial e feriu um funcionário da limpeza em Montrouge, na periferia ao sul de Paris, na quinta-feira (8), e teria exigido o fim ao cerco da polícia aos irmãos em Dammartin-en-Goele em troca dos reféns na loja judaica.

A  França está em alerta.