Globo contrata novos ex-jogadores para comentaristas da Copa do Mundo

A Globo confirmou em evento novos contratados para serem comentaristas da Copa do Mundo do Brasil, Juninho Pernambucano, foi o plano “plano B” após não ir adiante as conversas com outro boleiro, Rogério Ceni, e o ex-lateral, Roberto Carlos, foram anunciados como os novos ex-jogadores comentaristas da Globo para a Copa do Mundo no evento “Vem aí”, na noite desta quarta.
A dupla foi apresentada como novidade na festa realizada em uma casa de shows em São Paulo, e que virará programa com exibição hoje à noite na TV. “O nosso time de comentaristas agora realmente é um time. Tem até lateral esquerdo [Roberto Carlos]. O meio-campo tá reforçado com Roger [Flores], com Juninho Pernambucano. O ataque é Caio, Casagrande, Ronaldo [Fenômeno]. Nós tamo bem demais”, declarou Tiago Leifert em entrevista ao “Jornal da Globo” de quarta-feira, citando, além os recém-chegados e os já de algum tempo ex-jogadores comentaristas da grade da Globo, além da estrela Ronaldo Fenômeno, que comentará só jogos do Brasil.

Além dos citados, foi destacado na festa Alex Escobar, que passa a integrar o time de narradores do canal, composto por Cleber Machado, Luis Roberto, Rogério Correa e Rembrandt Jr., além do número 1 da narração global, Galvão Bueno. Para comentar sobre arbitragem, Arnaldo Cezar Coelho terá as companhias dos igualmente ex-apitadores, Leonardo Gaciba e Renato Marsiglia. Das 64 partidas da Copa, a Globo transmitir ao vivo 56 delas, mostrando compactos dos outros oito jogos. Durante o Mundial, a sua programação contará com edições ao vivo do programa “Central da Copa”, que terá apresentação de Leifert e Escobar.

Como pode-se notar no “time” escalado pela Globo, jornalista analista de futebol não tem vez para a função de comentarista. E isso já vem de algum tempo. Não chega a ser novidade e virou “moda”, lamentavelmente seguida pela outra exibidora da Copa na TV aberta, a Bandeirantes. Perde o telespectador. O melhor seria a mescla entre jornalista e boleiro comentando os jogos. Desta forma, a TV fechada, onde o jornalista analista ainda tem bastante espaço, serve como alternativa (para quem tem essa opção) ao telespectador que não se der por satisfeito com os pitacos de Caio, Casagrande, Roger, Ronaldo, Roberto Carlos e Juninho, na Globo, e mesmo de Neto, Denílson, Edmundo e Ronaldo Giovanelli, os ex-jogadores da cobertura da Band.