Entenda porque Renner deverá pagar R$ 3 milhões

rennerO acidente envolvendo o cantor Renner aconteceu no ano de 2001 , porém é agora que o caso estourou novamente, quando o cantor menos esperava a justiça bateu em sua porta quando o final dessa sentença entenda :

A morte do engenheiro químico Luís Antônio Nunes Aceto e da namorada dele, Eveline Soares Rossi, no dia 20 de agosto de 2001, em Santa Bárbara D’Oeste, interior de São Paulo, após terem a moto em que andavam na rodovia Luiz de Queiroz, sentido Piracicaba-Campinas, atingida pela BMW do cantor Renner, ainda ecoa na vida do sertanejo.

Segundo a coluna Retratos da Vida, do jornal Extra, Renner, que trafegava em alta velocidade, por volta de 160 quilômetros por hora, quando perdeu o controle do automóvel e invadiu a outra pista, pode ter que indenizar as famílias das duas vítimas fatais, até o final deste ano.

Cerca de R$ 2 milhões se refere ao valor estipulado pela Justiça na ação indenizatória ganha em 2007. O montante é referente ao valor de bens que não estão no nome do cantor, mas que a Justiça de São Paulo, em primeira e segunda instância, considerou que devem ser usados para o pagamento da indenização. A defesa do sertanejo tentou levar o processo para o STF (Supremo Tribunal Federal).

O jornal destaca que, originalmente, o valor da ação estava calculado em R$ 1,08 milhão. Por causa da correção e de multas, o valor já ultrapassa a casa de R$ 3 milhões. As contas e os bens de Renner estão bloqueados, mas como a Justiça não encontrou nada no nome dele, apenas a renda de direitos autorais ainda são recolhidas. Os depósitos variam de R$ 7 mil a R$ 40 mil. Até hoje, pouco mais de R$ 350 mil foram pagos às famílias das vítimas.

“É menos de 10% do valor total”, calcula o advogado de acusação, Paulo Ciccone, que buscou provar, em juízo, que o sertanejo repassou bens e empresas para o nome de familiares e pessoas físicas para evitar que eles fossem usados para quitar a ação indenizatória.