Em 1 ano estoque de água de São Paulo cai 74 %

O estado de São Paulo, passou no ano passado (2014), uma das piores crises Hídricas, já registradas na historia do Estado. A falta de água chegou em um nível alarmante, com uma população de mais de 20 milhões de pessoas, o nível de abastecimento caiu, nada mais nada menos que 74 %. Em 27 de Janeiro de 2014, a companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), emitiu um alerta, sobre a seca na cantareira, na época a região era a mais rica do pais em reservatório de água, possuía 1 trilhão de litros armazenados. Hoje, depois de um ano caótico, possui apenas 12,4 % de sua capacidade, ou seja, aproximadamente 267,8 Bilhões de litros de água.

As reservas de água, continuam caindo, principalmente com  a temporada de chuvas. Se manter o ritmo, a reserva pode acabar em menos de 206 dias. ultrapassando a pior seca de São Paulo, que ocorreu a mais de 85 anos atrás.

Estado passa por pior periodo de seca

Estado passa por pior período de seca (Foto : Sistema cantareira)

Em 2014, o sistema da cantareira representava 23,1 % de sua capacidade, já nos dias atuais, com o uso do volume morte, já representa 23,7 % abaixo de zero.  O estoque utilizado para toda a população do estado, era de 47,3 %, este foi suficiente para conseguir passar pela seca de 2014, com economia e também cortes na distribuição da água.

Do ano passado, até hoje, o Sabesp vêm fazendo programas de Bônus para as pessoas que conseguirem economizar água. chegou a bombardear nuvens, afim de provocar chuvas artificiais. Fez a retirada de alguns bairros da capital, da área de cobertura do sistema cantareira. E também fez a redução de pressão, para poder diminuir as perdas por vazamentos.

“As chuvas são bem inferiores à expectativa para o verão e a situação atual das represas é muito pior do que em 2014. O cenário é de esgotamento”, afirmou Marussia Whately, coordenadora do Instituto Socioambiental (ISA). “O fato é que as medidas adotadas até agora não foram suficientes para reservar o máximo de recursos para 2015. Além do impacto social, isso vai repercutir economicamente na região que concentra um quarto do PIB do Brasil”, revelou Samuel Barrêto, que é  especialista em recursos hídricos da ONG The Nature Conservancy (TNC).

Com as ações realizadas pelo Sabesp, a redução de volume de água produzido na grande São Paulo 69 mil litros para 53 mil litros atualmente, a economia, embora seja positiva, ainda está longe diante do grande déficit de aguá diário nos mananciais, em especial o sistema cantareira,  que já esta próximo de captar uma terceira cota de volume morto. Em um ano, as perdas foram gigantescas, chegando a uma perda de 753 bilhões de litros. As informações expressadas nesta postagens, tem com base as divulgações do Jornal O Estado de S.Paulo;

Com todas as ações,