“Ela provocou, eu agredi”, diz Netinho de Paula sobre injúrias à ex-esposa

Netinho

Foto: Reprodução

Netinho de Paula coleciona polêmicas em sua carreira como músico e político. Figura pública desde os tempos de Negritude Júnior, o cantor ganhou espaço no mundo da política e chegou a ser vereador pela cidade de São Paulo. Derrotado nas eleições de 2014, em que buscava uma vaga como deputado federal, Netinho fez uma declaração um tanto quanto duvidosa em um programa de televisão.

Em entrevista ao “Roleta da Morte” no “Domingo Show”, da Record, ele falou sobre a agressão a ex-mulher Sandra que chocou o Brasil. Em 2005, Netinho bateu na ex e a imagem dela cheia de hematomas e com o olho roxo repercutiu em todo o Brasil.

No programa, ele admitiu o erro: “Eu não tinha o que fazer, porque a imagem do olho roxo é mais forte que qualquer palavra. Então, como homem, errei porque, independentemente, deveria ter tido sangue frio e ido pra rua. Como ela provocou, eu agredi. Então, quando estreei meu programa no SBT, levei a Maria da Penha pra dizer o que tinha feito. Eu acho que não existe no Brasil um homem que não tenha cometido uma agressão em sua companheira que tenha se exposto como eu. Foi um ato covarde e que nada justifica. Eu não pedi perdão só pra ela, pedi para todas as mulheres brasileiras. Principalmente, para aquelas que não têm a coragem que ela teve. Foi um ato covarde que não se deve repetir nunca mais”.

Os problemas na relação do casal à época, segundo o músico, vieram à tona por conta de “inimigos” que apareceram diante de seu sucesso. “Eu e a Sandra ficamos quatro anos juntos, namoramos dois e moramos dois anos juntos. Após muitas brigas entre o casal, o dia em que houve a agressão, eu não desejo para ninguém no mundo. Eu não quero nunca que a pessoa chegue na sua casa e se depare com uma situação em que você tenha perdido a linha. Foi um momento de muita fúria, ela me deu e eu dei nela e foi uma bagunça que parou no jornal do outro dia. É importante explicar o que acontecia na época: eu tinha um programa forte, aos domingos e líder de audiência. Foi ali que descobri os inimigos, porque falaram várias coisas”, explicou.