“A dor existiu e ainda existe”, afirma Nicette Bruno sobre Paulo Goulart

Nicette Bruno voltou a falar sobre a perda de Paulo Goulart, com quem se relacionou por 62 anos. A atriz homenageia o ator em “Perdas e Ganhos” que estreia nesta sexta (09), quando Paulo, vítima de câncer, completaria 82 anos.

Em entrevista ao “Extra”, Nicette confessou não ser fácil suportar a saudade, mas destacou a necessidade de se aproveitar a perda.

“O fantástico desse trabalho é que venho conseguindo superar a dor. Por isso, faço esse espetáculo com a mensagem de que a força decisiva tem que vir de nós. Sei, como diz o texto, que a perda do seu amor levado pela morte é a perda das perdas. O apoio dos outros, o carinho, o abraço, tudo é passageiro. Nós devemos saber tirar os ganhos que a perda proporciona”, disse.

Protegida pela dramaturgia, Nicette expõe essas cicatrizes no palco, numa construção delicada. Seguindo um pedido do pai, Beth Goulart, filha e diretora da montagem, incluiu uma cena em que a mãe tocava ao piano uma música composta especialmente para o marido. Um texto sobre casamento acompanharia a melodia. Era demais para a atriz. A solução foi gravar apenas a música em vídeo, projetado em cena.

“Minha mãe mostra a força de uma mulher que nessa altura, depois de viver tudo isso, tem a força maravilhosa de estar no palco dando esse depoimento de vida”, enfatiza Beth, destacando a dedicação e a entrega irrestrita de Nicette ao projeto, iniciado há mais de cinco anos e interrompido durante o tratamento de Paulo.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação